Cambistas fazem a festa no Pacaembu

Na partida com jeito de festa pelo título do São Paulo no Campeonato Paulista, quem comemorou mesmo foram os cambistas. A situação encontrada pelo Estado há algumas semanas no Estádio do Morumbi não só se repetiu nesta quinta-feira no Estádio do Pacaembu, como piorou sensivelmente. Chegou ao ponto um cambista oferecer ingressos de arquibancada, impossíveis de se encontrar na meia hora que antecedeu o apito inicial, ao preço de R$ 100. O valor na bilheteria era de R$ 15. Segundo os vendedores ambulantes na Praça Charles Müller, os cambistas que costumam atuar na região venderam rapidamente suas entradas de arquibancada e foram comemorar os lucros longe da polícia, que tentou timidamente e sem sucesso inibir a ação dos grupos de vendedores, que temiam muito mais o risco de arrastão por parte de integrantes da Torcida Independente. Pouco antes do início do jogo, as únicas entradas disponíveis, muito disputadas pelos são-paulinos, eram as numeradas que de R$ 30 eram vendidas à R$ 70. O golpe denunciado pela Agência Estado, de cambistas tentando vender ingressos-família e meia-entrada para torcedores desavisados continuou, mas os mais atentos conseguiram se esquivar do prejuízo. Superstição - Entre a massa são-paulina que invadiu o Pacaembu, a cautela prevaleceu e poucos torcedores se aventuraram a comprar ou vestir faixas de campeão antes da hora, para desespero dos ambulantes. "Não vendi nenhuma", queixava-se Caetano dos Santos sentado em um banquinho com as mãos no queixo. "Esse jogo no Pacaembu é uma roubada. O torcedor que vem aqui é diferente daquele que vai às partidas no Morumbi. Lá eles consomem muito mais." Mas não foi impossível encontrar torcedores confiantes a ponto de desfilar com a faixa de campeão antes do jogo. "É hoje. Tem de ser hoje", dizia o vendedor André Almeida. "Até porque se não garantir agora vai ser complicado jogar contra o Santos." Outro otimista era o estudante Rafael de Souza, que comprou sua faixa antes do jogo e não deu bola para a superstição de muitos torcedores que comprar faixa antes do título não dá sorte. "Vim para comemorar um título no estádio pela primeira vez." Outros são-paulinos foram mais precavidos, como o diretor comercial Epaminondas da Silva que comprou a faixa já no sábado, mas não a levou ao estádio. "Na verdade, ela fica caindo e então deixei em casa", desconversou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.