Reprodução/TV Globonews
Reprodução/TV Globonews

Camisa do Flamengo sem marca utilizada por general Mourão provoca polêmica

Clube afirma que se trata de uma camisa licenciada, mas antiga, da empresa Braziline

Redação, Estadão Conteúdo

14 de março de 2019 | 14h38

Causou polêmica nas redes sociais a camisa do Flamengo sem marca aparente do fabricante usada pelo vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, durante entrevista exibida pelo canal Globo News na quarta-feira. Muitos torcedores levantaram a hipótese de a camisa não ser oficial por não exibir o logotipo de nenhuma marca. 

Ao Estado, a assessoria do Flamengo informou que se trata de uma camisa licenciada, mas antiga, da marca Braziline. O gabinete da vice-presidência da República informou que Mourão a recebeu como presente de um amigo.

Mourão é torcedor declarado do Flamengo. Em janeiro, por exemplo, o vice-presidente brincou na chegada ao Palácio do Planalto, ao falar sobre uma vitória do Rubro-Negro no Campeonato Carioca. A imagem viralizou nas redes sociais. 

Não é a primeira vez que  uma camisa de futebol utilizada por integrantes do governo provoca polêmica. No mês passado,  o presidente Jair Bolsonaro comandou em Brasília uma reunião em que foi discutida a reforma da Previdência vestindo uma camisa não oficial do Palmeiras, clube do qual é torcedor.

Com predominância da cor verde-limão, o modelo é uma cópia de uma camisa utilizada pelo clube em algumas partidas na temporada de 2010. Havia, no entanto, diferenças significativas entre as duas camisas, como a colocação do número no espaço em que aparecia o logotipo da fabricante, na época a Adidas, entre outros detalhes.

Em 2018, Bolsonaro gravou vídeo mostrando que comia pão com leite condensado no café da manhã e estava usando o mesmo modelo de uniforme do Palmeiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.