Miguel Sierra/EFE
Miguel Sierra/EFE

Campbell e Bryan Ruiz marcam, mas Costa Rica é batida pelo México em amistoso

Seleções que enfrentaram o Brasil na Copa do Mundo da Rússia realizaram amistoso na madrugada desta sexta-feira (horário de Brasília)

Estadão Conteúdo

12 Outubro 2018 | 10h02

Em amistoso encerrado apenas na madrugada desta sexta-feira (no horário de Brasília), a Costa Rica chegou a ficar duas vezes à frente do placar com gols de Joel Campbell e Bryan Ruiz, hoje jogador do Santos, mas acabou sendo derrotada por 3 a 2 pelo México, em Monterrey, onde a seleção da casa conquistou a sua primeira vitória depois da Copa do Mundo da Rússia.

Ex-Arsenal e atualmente atleta do Frosinone, da Itália, Joel Campbell abriu o placar do confronto aos 29 minutos de jogo, mas Víctor Guzmán empatou para os mexicanos logo em seguida, aos 33. Ainda na etapa inicial, Bryan Ruiz voltou a colocar os visitantes na frente ao converter uma penalidade.

No segundo tempo, porém, os atacantes Henry Martín e Raúl Jiménez saíram do banco de reservas para balançar as redes aos 9 e 25 minutos, respectivamente, e assegurar a virada dos anfitriões. O último gol do duelo também saiu por meio de uma cobrança de pênalti.

Assim, o México encerrou um jejum de vitórias após sofrer duas derrotas nos amistosos anteriores, contra Uruguai e Estados Unidos, no mês passado. Antes disso, foi eliminado pelo Brasil do Mundial ao ser batido por 2 a 0 nas oitavas de final, sendo que na última rodada da primeira fase da competição ainda foi superado pela Suécia.

Nestes três amistosos que realizou após a Copa do Mundo, a seleção mexicana foi comandada de forma interina pelo técnico brasileiro Ricardo Ferretti, que ocupa o cargo enquanto a Federação Mexicana de Futebol tenta acertar a contratação de um substituto para o colombiano Juan Carlos Osorio, que foi o treinador da equipe nacional no Mundial e assumiu o comando da seleção paraguaia no mês passado.

Superada pelo México neste amistoso, a Costa Rica também foi derrotada pelo Brasil no Mundial de 2018, do qual acabou sendo eliminada já na primeira fase após ter brilhado na Copa de 2014, quando surpreendeu ao avançar às quartas de final.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.