Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Campeão do mundo pela Argentina detona Neymar por postura em campo: 'Daria um pontapé'

Oscar Ruggeri, parte do grupo vencedor da Copa de 1986, não poupou críticas ao camisa 10 da seleção brasileira

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2021 | 11h15

Neymar chama a atenção. Seja por lances bonitos, provocações, polêmicas fora de campo ou opiniões alheias, o astro do Paris Saint-Germain sempre está presente no noticiário, mesmo que ele não tenha relação direta com o acontecido. Dessa vez, foi o ex-zagueiro da Argentina, Oscar Ruggeri, que criticou o brasileiro. 

Campeão do mundo em 1996, o ex-jogador, que é comentarista da ESPN da Argentina, disse que "como é difícil de parar, eu, se pudesse, dava-lhe um grande pontapé."

Ruggeri se mostrou incomodado com a atitude de Neymar na partida em que o Brasil venceu o Peru por 4 a 0, na fase de grupos da Copa América. Apesar de reconhecer que o atacante é diferenciado, o comparou com Messi e condenou as ações do jogador quando o resultado está definido.

"O Neymar não tem quaisquer códigos de conduta em campo. Com o resultado de 4 a 0, faz uma finta, puxa para um lado, puxa para o outro. Aconteceu com o Peru", afirmou Ruggeri. "Com o Peru já destruído, ele continuava a brincar com os adversários. Se o Messi faz 4 a 0, você não vai saber que o placar está assim."

Além de ter sido um dos poucos a se destacar nos três grandes clubes argentinos, Boca Juniors, River Plate e San Lorenzo, o ex-zagueiro conquistou títulos por Real Madrid e América do México. 

"El Cabezón", como é conhecido, pôs seu nome na história da seleção ao vencer a Copa do Mundo de 1986, disputada no México. Depois de se aposentar, ele ainda treinou clubes como Chivas Guadalajara e Independiente e teve duas passagens pelo San Lorenzo. 

Brasil e Argentina fazem a grande final da Copa América no próximo sábado, às 21h (horário de Brasília), no Estádio do Maracanã. Este será também o quinto encontro entre Neymar e Messi, destaques de suas respectivas seleções.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.