Campeão, Elson faz odisséia rumo ao Pará

Elson iniciou hoje de madrugada a viagem mais longa de sua vida. Ao lado do pai, ?seu? Chiquinho, o meia do Palmeiras deixou o apartamento onde mora no bairro das Perdizes, em São Paulo, com destino a Conceição do Araguaia, no sul do Pará. Dirigindo um Vectra verde, os dois pretendem percorrer os 2.500 quilômetros que separam as duas cidades até sábado de manhã. Na bagagem, além de algumas malas com roupas e mantimentos para a viagem, 39 camisas do clube que serão distribuídas a parentes e instituições de caridade. "O carro vai ficar por lá mesmo", explica Elson. "Quando voltar das minhas férias, vou comprar outro."O jogador fez de tudo para evitar a desgastante viagem. Ligou para várias empresas transportadoras de São Paulo, mas se assustou com os preços cobrados para levar o veículo até o Pará, na faixa de R$ 3.500. Sem opção e querendo deixar o veículo com o pai em Conceição do Araguaia, resolveu colocar o pé na estrada. Ambos prometem não se arriscar. Viajar à noite está fora de cogitação. "Que eu me lembre, percurso longo assim só de Conceição para Belém (um total de 1.195 quilômetros)", conta Chiquinho.A divisão do comando da direção não foi nada democrática. Pouco acostumado a rodar pelas estradas das regiões Centro-Oeste e Norte, Elson decidiu que levaria o carro até Goiânia, uma distância de 930 quilômetros. A fase final da viagem, que inclui um trecho sinuoso e cheio de buracos até Guaraí, no Tocantins, ficará a cargo de seu pai. "Tenho que admitir que o velho Chico vai roer o osso", brincou Elson, que espera permanecer no Parque Antártica em 2004. Amanhã, está prevista uma reunião entre seu procurador, Oliveira Junior, e o presidente Mustafá Contursi. Oliveira, que também é presidente do Ituano, clube ao qual o meia está vinculado, exige vender pelo menos metade dos direitos federativos do jogador ao Palmeiras. Mustafá ficou de estudar.Ao chegar a Conceição do Araguaia, o meia será homenageado pela prefeitura. Em um carro do Corpo de Bombeiros, participará de um desfile pelas principais ruas da cidade. No domingo, a programação inclui uma partida exibição no estádio municipal, o Carecão, com capacidade para 15 mil torcedores - o estádio tem este nome porque até poucos meses atrás o campo não tinha grama. "Vai ser gostoso rever os amigos de infância", conta Elson, que também pretende ajudar a população carente. "Boa parte dos 75 mil habitantes do município passa necessidade. Por que não colaborar? Vou doar 20 camisas do Palmeiras para serem leiloadas em programas da Rádio Regional do Araguaia, a mais ouvida da região. Com o dinheiro arrecadado, vai dar para comprar comida e roupas."Ele poderá também curtir ainda mais a pequena Geovanna, sua filha de 9 meses, que viajou de avião ao Pará. "Só quero pensar em descansar, para voltar inteiro em janeiro", diz Elson, apaixonado pelo Palmeiras. "Como é bonito esse hino."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.