AP
AP

Campeão mundial em 1978, ex-atacante argentino Houseman morre vítima de câncer

Integrante das seleções nas copas de 1974 e 1978 morreu, aos 64 anos, de câncer

Estadão Conteúdo

22 de março de 2018 | 18h18

Campeão do mundo pela seleção argentina na Copa de 1978, realizada em seu país, o ex-atacante René Houseman morreu nesta quinta-feira, aos 64 anos, vítima de um câncer na língua. Conhecido como "El Loco", o ex-jogador também disputou o Mundial de 1974, na Alemanha, pelo time nacional e pessoas ligadas a ele vinham pedindo por doações de sangue nas últimas semanas para ajudar no tratamento contra a doença.

+ Sampaoli encaminha Argentina para amistoso e deve promover estreia de veterano

A morte de Houseman foi lamentada por Diego Maradona, campeão mundial pela Argentina em 1986 e ex-companheiro de seleção. "Eu fui amigo do verdadeiro René Houseman e desfrutei do seu futebol. Descanse em paz, Loco", escreveu o astro em suas redes sociais.

O ex-atacante Mario Kempes, máximo goleador da campanha da Argentina na Copa de 1978, foi outro a lamentar a morte de Houseman. "Sempre serás um louco lindo, estarás conosco para sempre. Descanse em paz", disse o ex-jogador, por meio de sua página no Twitter.

Na campanha do Mundial realizado há 40 anos, Houseman disputou seis jogos e marcou um gol, sendo um deles na polêmica vitória por 6 a 0 sobre o Peru, que acabou classificando os argentinos para a decisão contra a Holanda e tirou o Brasil da final por causa do melhor saldo de gols dos donos da casa.

Naquela ocasião, os argentinos precisavam de um triunfo por pelo menos 4 a 0 para se garantirem na luta pelo título. E o violento regime militar que imperava na Argentina na época foi acusado de ter agido nos bastidores, subornando e ameaçando jogadores peruanos, para que facilitassem a concretização da almejada goleada.

A Associação de Futebol Argentino (AFA) também soltou uma nota oficial expressando as suas condolências pela morte de Houseman e descreveu em seu site que ele foi um jogador "habilidoso, malandro, rápido e imprevisível". A entidade ainda disse que o ex-atacante por exibir em campo as qualidades "do mais genuíno futebol argentino".

Já na Copa do Mundo de 1974, Houseman também disputou seis partidas pela Argentina e marcou dois gols, sendo um contra a Itália e outro sobre o Haiti. Ao total, ele defendeu o time nacional em 55 jogos entre 1973 e 1979, período em que marcou 13 gols.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.