Wallace Woon/EFE
Wallace Woon/EFE

Campeão olímpico com o México, Herrera exibe confiança para reencontro com Brasil

Meio-campista era integrante do grupo que venceu a seleção brasileira na Olimpíada de Londres, em 2012

Leandro Silveira, enviado especial / Samara, O Estado de S.Paulo

01 Julho 2018 | 19h38

A escolha de Héctor Herrera para participar da entrevista coletiva prévia ao duelo entre México e Brasil, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, não deve ter sido feita a esmo. Afinal, o meio-campista fez parte de um grupo da sua seleção que foi contra os prognósticos há seis anos e assegurou uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres-2012 ao superar exatamente a seleção brasileira naquela oportunidade, por 2 a 1, no Estádio de Wembley.

+ Brasil x México promove reencontro de remanescentes de Londres-2012

+ Osorio exalta qualidade técnica do Brasil, mas promete que México vai atacar

Nesta segunda-feira, em Samara, além de Herrera, o goleiro Jesús Corona, os meio-campistas Marco Fabián, Giovani dos Santos e Javier Aquino, e os atacantes Raúl Jiménez e Oribe Peralta, vão se lembrar novamente daquela partida e tentarão levar o México às quartas de final da Copa pela primeira vez longe do seu país.

Único dos sete campeões olímpicos escalados pelo técnico Juan Carlos Osorio, Herrera minimiza o peso daquele confronto para o duelo desta segunda. "Eu só tenho belas lembranças, mas isso fica no passado. Eles têm jogadores de alta qualidade que jogam nas melhores equipes do mundo, e temos que fazer um ótimo jogo. Há muita confiança no grupo e em nós mesmos."

A confiança do México passa muito pela estreia na Copa, a surpreendente vitória por 1 a 0 sobre a Alemanha. Na sequência, então, a equipe derrotou a Coreia do Sul por 2 a 1, mas decepcionou na rodada final do seu grupo ao perder por 3 a 0 para a Suécia, ainda que tenha se classificado às oitavas de final da Copa.

 

Esse tropeço, porém, parece não ter abalado a confiança dos mexicanos, tanto que Herrera apontou a vaga na final da Copa do Mundo como um objetivo real para o México. "O grupo está muito tranquilo e focado, mas acima de tudo motivado pelo oportunidade que temos de jogar contra uma das melhores equipes do mundo. Nós queremos a Copa do Mundo, mas você tem que ir partida a partida".

Assim, voltar a superar o Brasil pode ser o passo que falta para o México ampliar as suas aspirações no cenário internacional. "Se queremos ser uma equipe que aspira ao campeonato, devemos vencer quem aparecer na frente. Eu tenho muita confiança no grupo, estamos prontos para fazer um ótimo jogo e continuar sonhando", concluiu Herrera.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.