Campeão, Vampeta modera o discurso

Relaxado e já com a faixa de campeão paulista no peito, o volante Vampeta, protagonista das declarações mais picantes na véspera da final, inverteu o discurso. Depois de ?disparar? contra os adversários, a quem não se cansava de chamar de ?bambis? e ?fregueses?, e do presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Eduardo José Farah, que o multou em R$ 50 mil, o tom era ameno. "É sempre muito importante conquistar um título com a camisa do Corinthians, ainda mais frente a um adversário como o São Paulo, que conta com grandes jogadores", ponderou. Com o tradicional sorriso baiano estampado, ele preferiu não comentar mais sobre as polêmicas nas quais se envolveu antes da partida. Para Vampeta, o momento era de festejar o disputado título. "Eu quis apenas promover a partida. Mas, infelizmente, muitas pessoas não entendem dessa maneira", lamentou, sem perder o entusiasmo pela vitória. Agora, na disputa na Taça Libertadores da América, a prioridde corintiana na temporada, o técnico Geninho garantiu que não vai se preocupar com as possíveis provocações que o volante pode fazer com os adversários sul-americanos. "Não tem jeito. Ele (Vampeta) é assim mesmo", explicou o treinador corintiano. "Por isso eu nem falo nada. Se a gente fala, corre o risco de acabar sendo atropelado", divertia-se. Já Vampeta continuava ponderado. "Vamos comemorar bastante, sim. Porém, na segunda-feira já estamos com tudo pronto para pensar só na Libertadores", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.