Reprodução
Reprodução

Liga australiana muda regras para atrair mais jogadores famosos

Federação cria cota para times gastarem acima de teto salarial

Estadão Conteúdo

11 Agosto 2015 | 08h58

A liga que organizar o Campeonato Australiano anunciou nesta terça-feira uma mudança nas suas regras para tentar atrair mais jogadores de renome. A partir da próxima temporada, cada clube poderá utilizar na contratação de estrangeiros uma cota chamada de "jogador famoso", que não precisa se encaixar em um teto salarial. Antes, um deles precisava ser australiano. Isso não existe mais.

Pelas regras da liga local, cada clube tem orçamento de US$ 2,55 milhões (R$ 8,9 milhões atuais) e não pode extrapolar gastos com salários, de forma que o campeonato seja competitivo e equilibrado. Mas isso impede as equipes de fazerem grandes contratações - gastar com um único atleta significa ter menos dinheiro para pagar o restante do elenco, que ficaria fragilizado.

Agora, cada clube da Austrália poderá contar com dois estrangeiros nessa conta de "jogador famoso". Também o período máximo de contratação de um "jogador convidado" (como foi David Villa no ano passado) passou de 10 para 14 semanas. Pelo Campeonato Australiano já passaram Alessandro Del Piero, Robbie Fowler, Emile Heskey e Dwight Yorke, além de Romário, no distante ano de 2006. O Brasil, aliás, é quem mais exporta para lá, mas jogadores que são desconhecidos no País.

Com a medida, a Austrália tenta entrar na rota de jogadores em fim de carreira que aceitem se aventurar para ganhar dinheiro e divulgar o futebol do país. Índia e Estados Unidos estão sendo bem sucedidos nessa tentativa. Elano, jogador do Santos, está de malas prontas para o futebol indiano. Ele deve viajar em setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.