Gabriel Bouys/AFP
Eden Hazard é a principal contratação do Real Madrid para a temporada Gabriel Bouys/AFP

Campeonato Espanhol começa com atenções voltadas para o Real Madrid

Depois de temporada decepcionante, equipe investe R$ 1,3 bilhão em reforços; amistosos geram incertezas

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2019 | 05h02

À espera de uma definição sobre a possível volta de Neymar ao Barcelona, o Campeonato Espanhol começa nesta sexta-feira com altas expectativas em torno do Real Madrid. O clube merengue gastou mais de 300 milhões de euros (R$ 1,3 bilhão) em reforços, mas continua com muitas incertezas e pressão sobre o técnico Zinedine Zidane depois de uma preocupante pré-temporada.

O Real venceu apenas dois de seus sete jogos na pré-temporada, tomando 18 gols e sofrendo três derrotas, incluindo uma humilhante goleada por 7 x 3 para o Atlético de Madrid, além de derrotas para Bayern de Munique e Tottenham. Parte da imprensa espanhola especula que Zidane pode ser demitido nos próximos dias.

Mesmo após gastar 300 milhões de euros (R$ 1,3 bilhão), o mercado de transferências não foi inteiramente como o planejado pela diretoria e o clima no Santiago Bernabéu está longe de ser otimista, principalmente porque o clube não conseguiu contratar o meia Paul Pogba, do Manchester United, grande objetivo de Zidane. O presidente Florentino Pérez também não resolveu o problema do que fazer com Gareth Bale, jogador com maior salário do elenco, que não está mais nos planos de Zidane.

O Real Madrid comprou Eden Hazard do Chelsea por 100 milhões de euros (R$ 444 milhões) e o atacante sérvio Luka Jovic por 60 milhões (R$ 266 milhões), ao mesmo tempo em que gastou 98 milhões (R$ 435 milhões) de euros nos defensores Éder Militão e Ferland Mendy. O problema é que todo o investimento passou longe de causar o impacto pretendido nos resultados da equipe na pré-temporada. O Real estreia no Campeonato Espanhol contra o Celta de Vigo, no sábado.

Com uma decepcionante campanha, o Real Madrid foi o terceiro colocado da última edição do Espanhol, a 19 pontos do campeão Barcelona. O último título nacional do clube foi conquistado na temporada 2016/2017. "Jogar bem e vencer é o que mais me interessa. Ganhar é a consequência de se sair bem no campo e competir. Nós vamos ganhar coisas jogando como um time. Eu prefiro jogar bem porque isso é importante aqui", concluiu Zidane.

Barcelona, Real Madrid e Atlético Madrid, os três maiores clubes da Espanha, gastaram mais de 800 milhões de euros (R$ 3,5 bilhões) em novos jogadores. Um recorde na história do país. Atual bicampeão, o Barça, que abre o Espanhol nesta sexta-feira contra o Athletic Bilbao às 16h (horário de Brasília), por exemplo, vai exibir ao público o atacante francês Antoine Griezmann e o meio-campo holandês Frenkie de Jong, contratados por 195 milhões de euros (R$ 867 milhões). Lionel Messi, com uma uma lesão muscular, desfalcará a equipe. Ele deve voltar ao time no dia 25, em casa, diante do Betis na segunda rodada do Espanhol. "Não vamos arriscar com nenhum jogador, menos ainda com Leo", indicou o técnico Ernesto Valverde.

No Atlético de Madrid, vice-campeão na temporada passada, o principal reforço foi o atacante português João Félix, comprado do Benfica por 126 milhões de euros (R$ 560 milhões), dinheiro arrecadado com as vendas de Griezmann, Lucas Hernandez e Rodri. As primeiras exibições do garoto indicam que ele não será intimidado por seu enorme preço. A janela de transferência se encerra no dia 2 de setembro.

No Brasil, o Campeonato Espanhol será transmitido pelos canais ESPN e FOX Premium. A expectativa é de que as transmissões atingiram uma audiência de mais de 2,7 bilhões de torcedores em todo o mundo.

1ª RODADA

Sexta-feira (16/08)

Athletic Bilbao x Barcelona

Sábado (17/08)

Celta x Real Madrid

Valencia x Real Sociedad

Mallorca x Eibar

Leganés x Osasuna

Villarreal x Granada

Alavés x Levante

Domingo (18/08)

Espanyol x Sevilla

Bétis x Valladolid

Atlético de Madrid x Getafe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Times que subiram da 2ª Divisão da Espanha têm ligação com a NBA

Dono do Granada também é proprietário do Minnesota Timberwolves, enquanto Mallorca pertence ao ex-armador Steve Nash

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de agosto de 2019 | 05h01

O Campeonato Espanhol começa com fortes ligações com o NBA, a liga norte-americana de basquete. O Granada, que subiu da 2ª Divisão, pertence ao empresário chinês Jiang Lizhang, proprietário do Minnesota Timberwolves. Já o Mallorca, que também subiu de divisão, é de Steve Nash, ex-jogador da NBA.

O Mallorca disputará o Campeonato Espanhol pela oitava vez em sua história. O time das Ilhas Baleares é o único de fora da Península Ibérica no campeonato e ficou seis temporadas fora da Primeira Divisão. Steve Nash foi considerado o MVP, o jogador mais valioso da NBA, em duas temporadas (em 2005 e 2006), quando atuava pelo Phoenix Suns. Em 2016, ele se tornou acionista majoritário do clube em uma transação estimada em 20 milhões de euros (R$ 88 milhões na cotação atual).

O Granada volta à elite do futebol espanhol após uma ausência de dois anos. O terceiro time que subiu para Primeira Divisão do Espanhol foi o Osasuna. Será a sua 38.ª temporada na elite espanhola.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.