Rafael Ribeiro/CBF
Rafael Ribeiro/CBF

Candidato à presidência da Fifa, príncipe visita Del Nero na CBF

Brasileiro tem forte influência sobre os votos da Conmebol

Estadão Conteúdo

09 de abril de 2015 | 20h09

Em plena campanha para tentar apear Joseph Blatter do comando da Fifa, o príncipe jordaniano Ali Bin Al Hussein visitou o presidente eleito da CBF, Marco Polo del Nero, nesta quinta-feira, na sede da entidade, no Rio de Janeiro. Membro do Comitê Executivo da Fifa, o brasileiro tem forte influência sobre os votos da Conmebol, que pode decidir o resultado das eleições do dia 29 de maio, em Zurique.

Na visita ao Brasil, o príncipe teve uma conversa informal com Del Nero e conheceu o acervo do Museu da Seleção Brasileira, na sede da CBF. "Achei bonito, maravilhoso. É muito bom estar aqui no Brasil, a casa do futebol no mundo. Isso que foi feito aqui é apaixonante. A única coisa que tenho de fazer agora é trazer meus filhos porque eles vão gostar ainda mais que eu", afirmou Al Hussein, que é um dos vice-presidentes da Fifa.

Durante a visita, o jordaniano presenteou Del Nero com duas garrafas contendo água do Rio Jordão, o que simboliza sorte, em uma referência à nova função do brasileiro na CBF - ele assumirá oficialmente o comando da entidade no dia 16, em substituição a José Maria Marin. Em retribuição, Del Nero entregou ao príncipe uma placa comemorativa, uma medalha alusiva ao centenário da CBF e uma camisa da seleção brasileira.

Al Hussein é um dos três opositores de Blatter nas eleições de maio. Além deles, o suíço enfrentará o ex-jogador português Luis Figo e o presidente da federação holandesa, Michael van Praag. No Brasil, o jordaniano espera conquistar os votos e a influência da CBF na Conmebol. A entidade sul-americana, contudo, deve votar em Blatter, que busca o quinto mandato consecutivo à frente da Fifa.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaCBFAli Bin Al Hussein

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.