Candinho alerta jogadores do Palmeiras

Não tem mais time bobo no futebol. O surrado discurso ganhou roupagem nova nas palavras do técnico Candinho, na véspera do jogo que o Palmeiras faz contra os venezuelanos do Deportivo Táchira, nesta quinta-feira, no Palestra Itália, pela Libertadores. "Se você visitar esses clubes como o Táchira, eles têm tudo o que nós temos: centro de treinamentos, academia, piscina... Não são mais aqueles tontões de antigamente, com o calção por aqui", disse o treinador, apontando para o joelho.Candinho não tem nenhum desfalque e sabe que, após a boa vitória no clássico contra o Santos, pelo Paulistão, tem chance de ouro para embalar e até conseguir a liderança do grupo 4 da Libertadores. Porém, pede calma aos seus comandados e lembra que o futebol venezuelano está em fase de franca ascensão."O futebol deles melhorou muito daquela época que eu dirigia a seleção. O Santo André, por exemplo, é uma equipe boa, foi lá e perdeu. Tecnicamente o brasileiro é melhor, mas em conjunto a coisa engrossa", afirmou Candinho que, como técnico do Brasil, fez 6 a 0 na seleção venezuelana pelas Eliminatórias da Copa de 2002.Apesar da evolução de seu time, Candinho continua dizendo que o elenco precisa de reforços de peso se quiser brigar por algum título este ano. "O Palmeiras, pouquinho a pouquinho, vem melhorando, mas ainda não é o que a gente quer", explicou. Segundo ele, falta um jogador experiente, principalmente no ataque. Os titulares no ataque, por enquanto, seguem sendo Osmar e Ricardinho. No meio, Magrão e Diego Souza, que não jogaram contra o Santos por suspensão, estão confirmados. Pedrinho, herói do clássico de domingo, fica no banco como arma para o segundo tempo.Enquanto isso, os atacantes Adriano Chuva e Tiago Gentil, que não vem sendo utilizados, devem sair do clube. O primeiro terá passe livre em julho e o segundo tem proposta do futebol coreano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.