Candinho e Oswaldo em situações opostas

De um lado, o treinador Candinho valorizado após os 3 a 1 do Palmeiras em cima do Santos, no Palestra Itália. Do outro, um Oswaldo de Oliveira que balança no cargo. O técnico Tite, recentemente demitido pelo Corinthians, tem o nome comentado na Vila Belmiro desde a semana passada. Os elogios a Candinho foram uma regra nos vestiários do Palestra Itália. "Com ele, nosso time está tendo tranqüilidade para colocar a bola no chão. Estamos ganhando confiança a cada partida", sorria o atacante Cristian. "Colocamos garra para roubar a bola, e técnica quando atacávamos. Está aí o resultado."Pelo lado santista, o presidente Marcelo Teixeira garante que Oswaldo permanece, mas não deverá suportar por muito tempo a pressão de conselheiros e, principalmente, da torcida, que voltou a protestar contra o técnico, durante o jogo deste domingo. "Concordo que o Palmeiras ganhou em cima dos nossos erros, mas não posso deixar de lembrar que o acaso também decidiu", lamentou-se o treinador santista. "Não há como negar que o Santos era o favorito. Por eficiência e chances de gols desperdiçadas, a nossa equipe foi a melhor do jogo e a que mais merecia vencer."Para fugir do clima desfavorável em Santos, Oswaldo deu folga aos jogadores nesta segunda-feira. Nesta terça-feira cedo leva o time para treinamentos especiais em Extrema, sul de Minas Gerais. O próximo jogo será pelo Campeonato Paulista, domingo, às 18h, na Vila Belmiro, contra o União Barbarense.Tanto desânimo dos santistas, de acordo com o goleiro palmeirense Marcos, não tem razão de ser. "Nós ganhamos do melhor time do Brasil, só isso. Podemos surpreender a nós mesmos. Mas quero avisar: o Santos continua sendo a melhor equipe do País", afirmou o goleiro, que não se ilude em relação ao elenco do Palmeiras. "Vamos manter os pés nos chão. Nosso time é humilde, humilde", repetia Marcos.Quem também não se iludiu foi o neste domingo badalado Candinho. Pelo contrário. O treinador já antecipou que os suspensos Magrão e Diego Souza irão atuar contra o Deportivo Táchira na partida de quinta-feira, pela Libertadores da América.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.