Candinho tenta reabilitar a Lusa

Candinho faz sua estréia no comando da Portuguesa, neste domingo, às 16 horas, no Canindé, tentando reabilitar o time no Campeonato Paulista e manter as chances de classificação. A missão, no entanto, não será fácil. O Rio Branco é o carrasco das equipes grandes na competição e vice-líder, com 20 pontos. Bateu o São Paulo (2 a 1), Santos (3 a 2) e empatou com Palmeiras (2 a 2) e Corinthians (3 a 3). Contra um adversário perigoso, Candinho vai colocar uma equipe experiente em campo, com a volta de Élson e do capitão Émerson. "Vai ser uma tarefa difícil, o Rio Branco é um time muito bem entrosado", lembra o treinador. "Precisamos explorar a habilidade de nossos atletas." Pelo menos no retrospecto dos últimos confrontos no Canindé, Candinho tem uma boa notícia. A Lusa não perde para o Rio Branco em seu estádio desde 93. Foram 8 jogos, com 6 vitórias e 2 empates. A Lusa soma 15 pontos e necessita de pelo menos mais 13, pelas contas do técnico, para se classificar para as semifinais. Por isso, só a vitória interessa. E Candinho costuma dar sorte no Canindé. Os melhores resultados do time - vice-campeão brasileiro de 1996 e terceiro colocado nos Paulistas de 95, 96 e 98 - foram sob seu comando. "Muitos dizem que a Lusa morre na praia, mas, muitas vezes, é assassinada", comenta, fazendo alusão ao Paulista de 1998, quando o time não chegou à decisão por um erro do árbitro argentino Javier Castrilli. De volta à equipe após cinco meses, Émerson demonstra confiança. "É a hora da reabilitação. Vai prevalecer o mando de campo", ressalta."Precisamos pensar grande, na classificação, não apenas em vencer um jogo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.