Cannavaro é liberado de acusação de doping

As autoridades italianas afirmaram nesta segunda-feira que o teste positivo de Fabio Cannavaro não constitui um caso de doping. O Comitê Olímpico Italiano (Coni), que é o organismo responsável por estes casos, decidiu liberar o jogador, depois de interrogá-lo.

AE-AP, Agencia Estado

12 de outubro de 2009 | 12h58

O Coni concluiu que o resultado positivo para doping ocorreu por conta do uso de cortisona para tratar de uma picada de abelha. E nesta segunda-feira Cannavaro falou pela primeira vez sobre o caso.

O zagueiro afirmou que se sentiu atingido com as reações negativas em relação ao seu suposto caso de doping. "Tenho a consciência limpa", declarou Cannavaro. "Alguém é picado por uma abelha e acabam o tratando nos jornais como se tivesse se dopado", reclamou. "Pensei que estava sonhando. Alguns jornais e canais de televisão forma longe demais com isto".

Um jogador pode receber aplicação de cortisona se for necessário, mas o clube precisa obter uma autorização para isso. Ainda não foi esclarecido se a Juventus havia sido liberada para adotar o tratamento. Assim, o clube de Turim e o médico Bartolomeo Goitre podem ser punidos.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCannavarodoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.