Cannavaro está perto de superar marca na seleção italiana

O zagueiro Cannavaro completou 94 partidas com a camisa da seleção italiana no jogo de segunda-feira, contra Gana, e alcançou Giacinto Facchetti - presidente da Inter e capitão da Itália na Copa de 70. No sábado, diante dos Estados Unidos, ele se isolará como o terceiro jogador no ranking de presenças em campo pela Azzurra (Maldini jogou 126 vezes e Zoff, 112). E poderá completar a centésima se participar de todos os jogos e a Itália chegar à final. Não é pouca coisa para quem está longe de ter o tipo físico padrão para os jogadores de sua posição. Com 1,75 m, ele só é mais alto do que dois dos 23 jogadores convocados por Marcello Lippi: Del Piero (1,74 m) e Camoranesi (1,73 m). Os outros zagueiros do elenco são gigantes perto dele. Nesta e Barzagli medem 1,88 m e Materazzi tem 1,94 m. No jogo contra Gana, ele era o mais baixo dos 22 jogadores que foram titulares. Velocidade, impulsão, boa colocação e liderança são as virtudes que fizeram o ?baixinho? chegar ao ponto em que chegou. Desde que Marcello Lippi assumiu o comando da seleção, depois da Eurocopa de 2004 em Portugal, é ele o capitão. E ele não é o tipo de capitão que serve só para tirar cara ou coroa antes do início da partida. Em campo, grita e gesticula o tempo todo para orientar o posicionamento de seus companheiros. Se durante as partidas ele é muito enérgico, fora o napolitano de 32 anos (completa 33 em setembro) é uma pessoa tranqüila. Terça-feira à tarde, quando o elenco ganhou umas horas de folga, fez o programa mais familiar possível: levou a mulher e os dois filhos ao zoológico de Duisburg, que fica a cerca de 20 minutos do hotel que hospeda a Azzurra. Divertiu-se com as crianças, tomou sorvete e à noite estava de volta à concentração para ver Brasil x Croácia e analisar dois times que podem cruzar o caminho da Itália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.