Cansaço pode mudar São Caetano

A partir deste sábado, o técnico Muricy Ramalho, do São Caetano, vai conversar com seus jogadores, observar o rendimento de cada um para decidir o time que enfrenta o Paulista, domingo, na primeira partida da final do Campeonato Paulista. A preocupação é poupar os titulares que não conseguirem se recuperar a tempo após a disputada partida contra o Peñarol, quinta-feira, pela Libertadores. Nesta sexta-feira, Muricy dispensou os titulares do treino da tarde - só se reapresentam nesta sexta-feira à noite, para concentrar. O técnico reclamou mais uma vez da falta de tempo para treinar. "Vou ter de definir o time sem um trabalho de campo adequado. Na teoria é fácil resolver os problemas, mas na prática, a gente não consegue ver se as mudanças dão certo." Apesar do empate contra o Peñarol, o São Caetano ainda briga nas duas frentes. Essa é a orientação da presidência do clube. Nairo Ferreira de Souza esteve nesta sexta-feira no Anacleto Campanella, acompanhando o treino dos reservas. "Enquanto houver ar para respirar, temos de acreditar. Ainda temos chances e devemos ir para a Bolívia acreditando nisso", disse Nairo, que ponderou. "Nossas classificações têm sido complicadas. Veja no Campeonato Paulista. Conseguimos só na última rodada e agora estamos na final." O problema é que o São Caetano perdeu a oportunidade de garantir uma boa vantagem no Grupo 1, da Libertadores. Se vencesse o Peñarol, abriria uma vantagem de três pontos sobre o time uruguaio e o The Strongest, que perdeu na quinta-feira para o América, do México, por 4 a 0. A decisão do segundo colocado ficou para a próxima quinta-feira, quando o time brasileiro vai a La Paz, enfrentar o The Strongest, enquanto o Peñarol recebe em casa o América, que já está classificado. E mesmo que consiga a segunda colocação do grupo, o São Caetano deve disputar a respescagem entre os quatro piores segundos colocados, que decidirão duas vagas para a próxima fase. Para enfrentar o Paulista, um dos problemas é a lateral-direita. Anderson Lima levou o terceiro cartão amarelo e não joga. A vaga está entre o lateral-direito Edson Mendes e o meia Fábio Santos. Nesta sexta-feira, Muricy observou atentamente o desempenho de Edson, mas não adiantou nenhuma definição sobre a posição. Edson Mendes seria a opção natural, mas o jogador retornou aos treinamentos há duas semanas - fez uma cirurgia no olho. "Ele pode sentir a falta de ritmo", disse Muricy, que ressaltou. "Numa partida decisiva, a parte física é muito importante." Fábio Santos tem entrado nos últimos jogos. Nesse caso, Mineiro seria deslocado para lateral, enquanto Fábio jogaria pelo meio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.