Capello não descarta manter Ronaldo no Real Madrid

O italiano Fabio Capello, técnico do Real Madrid, deu mostras de que não descartou totalmente contar com o atacante brasileiro Ronaldo, que pode acertar com o Milan.Apesar de ter deixado o jogador de fora da partida de quinta-feira contra o Bétis, pela volta das oitavas-de-final da Copa do Rei, ele disse que ainda conta com o jogador: "Vejo Ronaldo com a camisa do Real Madrid"."Ele está superando uma lesão e segue treinando. É jogador do Real Madrid", completou Capello, que já teria descartado o brasileiro de seus planos para a temporada.Sobre o inglês David Beckham, também afastado, o técnico italiano deixou uma pequena chance de mudar sua situação caso ele não rescinda o atual contrato com o Real, até 30 de junho."Não podemos descartar nada, mas neste momento a idéia que temos é clara. De vez em quando é preciso ser um pouco flexível. Sempre disse que Beckham é um grande profissional, treina sempre com muita vontade e acho que, para poder mudar de idéia, depende do jogador também", afirmou.O treinador também aceitou sem problemas a multa aplicada pela diretoria pelo gesto obsceno a torcedores do clube merengue. "Acho justo. Assim como multamos os jogadores, eu tenho de assumir", explicou Capello.Segundo o técnico, a reunião de uma hora e meia entre jogadores e o presidente do clube, Ramón Calderón, foi "muito importante". Capello evitou falar muito sobre o encontro, pedido pelos jogadores para ouvir explicações de Calderón sobre algumas declarações polêmicas feitas na terça em discurso num centro universitário."O presidente fez uma reunião importante com os jogadores, na qual também esteve presente Mijatovic e eu, como treinador. Foi decidido que os capitães farão uma entrevista coletiva na sexta", disse.Capello admitiu desconhecer que o presidente iria ao centro de treinamento e, sem revelar nada, fez uma leitura positiva do ocorrido."Os jogadores não ficam felizes quando algo assim acontece, mas a verdade é que fizeram um treino espetacular. Acho que os jogadores são profissionais e ganhamos muito psicologicamente após a vitória sobre o Zaragoza. Estamos bem", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.