Martin Meissner/ EFE
Martin Meissner/ EFE

Capitão da Dinamarca e médicos que socorreram Eriksen ganham prêmio da Uefa

Ao lado dos profissionais da saúde, zagueiro Simon Kjaer salvou a vida do meiocampista durante jogo da Eurocopa

Redação, Estadão Conteúdo

24 de agosto de 2021 | 12h52

A equipe médica que salvou a vida do meia dinamarquês Christian Eriksen, durante jogo de estreia da Eurocopa, em junho passado, em Copenhague, e o capitão da seleção da Dinamarca, Simon Kjaer, receberão o Prêmio Presidente da Uefa. O anúncio foi feito nesta terça-feira pela entidade que comanda o futebol na Europa.

Os ganhadores serão homenageados, durante a festa de gala da Uefa nesta quinta-feira - quando acontecerá o sorteio dos grupos da Liga dos Campeões -, "pelas contribuições vitais para ajudar Eriksen, quando o meia da Internazionale, de 29 anos, sofreu uma parada cardíaca e caiu no gramado", conforme está escrito em um comunicado oficial emitido pela Uefa nesta terça-feira.

O incidente aconteceu no último dia 12 de junho, durante jogo entre Dinamarca e Finlândia, pela primeira rodada da fase de grupos da Eurocopa. Após Eriksen desabar, rapidamente Kjaer socorreu o companheiro, que logo recebeu o amparo da equipe médica destinada para o jogo, assim como da equipe de arbitragem.

Em nota oficial, a Uefa destacou as "excepcionais qualidades de liderança que mostrou" o zagueiro, ao reagir rapidamente para acudir o companheiro.

Presidente da entidade europeia, o esloveno Aleksander Ceferin, classificou os vencedores do prêmio neste ano como "verdadeiros heróis". "Neste ano, o prêmio vai muito além do aspecto futebolístico. Serve como uma lembrança importante e eterna do quão preciosa é a vida e coloca tudo em perspectiva", afirmou o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.