Alexandre Vidal / Flamengo
Alexandre Vidal / Flamengo

Capitão do Flamengo, Everton Ribeiro renova contrato até o fim de 2023

Meia foi titular e importante para o bom funcionamento coletivo do time nas campanhas vitoriosas de 2019

Redação, Estadão Conteúdo

13 de dezembro de 2019 | 15h02

O Flamengo anunciou nesta sexta-feira a renovação de contrato do meia Everton Ribeiro, capitão do time e uma das referências do atual elenco. O jogador, que tinha vínculo até o fim de 2021, estendeu seu contrato com o clube rubro-negro até dezembro de 2023. "Agradeço ao presidente e toda diretoria que me fizeram essa felicidade de estar renovando por quatro anos com o Flamengo. Sou muito grato a tudo que o clube me deu, estou muito feliz aqui e espero continuar sendo campeão", afirmou Everton Ribeiro.

O jogador chegou ao Flamengo em junho de 2017, depois de defender o Al-Ahli, da Arábia Saudita, por três temporadas. O meia foi adquirido por cerca de R$ 22 milhões. Na época, foi a maior transferência da história do clube rubro-negro. Hoje, o atleta mais caro, não só do Flamengo como da história do futebol brasileiro, é o meia uruguaio Arrascaeta. O clube carioca pagou cerca de R$ 63 milhões por ele.

No estrelado elenco flamenguista, Everton Ribeiro, de 30 anos, é peça importante para o bom funcionamento coletivo do time comandado pelo português Jorge Jesus. Nesta temporada, ele marcou seis gols em 60 jogos. No total, em quase três temporadas com a camisa do time rubro-negro, balançou as redes 23 vezes em 157 partidas. Recentemente, como capitão, o meia levantou os troféus da Copa Libertadores e do Campeonato Brasileiro.

Nesta sexta-feira, a delegação flamenguista embarca para Doha, no Catar, para disputar o Mundial de Clubes da Fifa. A estreia está programada para a próxima terça-feira e será contra o vencedor do duelo entre o saudita Al Hilal e o tunisiano Espérance.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengoÉverton Ribeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.