Eduardo Verdugo/AP Photo
Eduardo Verdugo/AP Photo

Capitão do México provoca Neymar e alerta árbitros: 'Se atira muitíssimo'

Andrés Guardado ainda minimizou os números e estatísticas que apontam que o time nunca ganhou do Brasil em uma Copa do Mundo

Estadão Conteúdo

29 Junho 2018 | 06h54

O meio-campista Andrés Guardado, capitão do México, tratou de esquentar nesta sexta-feira um pouco o clima nos bastidores antes do duelo com a seleção brasileira, na segunda, às 11h (de Brasília), pelas oitavas de final da Copa do Mundo.

+ Para Infantino, resultados confirmam que ampliar Copa é 'decisão acertada'

+ José Roberto Wright desaprova o VAR: 'Do jeito que está, o erro é duplo'

+ Arnaldo Cezar Coelho faz críticas ao uso do VAR: 'Tem sido uma muleta'

Ao ser questionado sobre Neymar, disse: "Conhecemos o Neymar. Mas julgá-lo não diz respeito a mim, nem a ninguém do meu time, mas apenas aos árbitros e à Fifa, que agora com o VAR tem que ver seu estilo de jogo e saber como conduzir. Sabemos que gosta de exagerar nas falta, se atira muitíssimo, mas é seu estilo", afirmou antes do treino do México em Novogorsk.

Guardado também tratou de minimizar os números e estatísticas que apontam que o México nunca ganhou do Brasil em uma Copa do Mundo. Na opinião dele, a vitória de sua seleção por 1 a 0 sobre a Alemanha mostra que podem jogar de igual para igual com qualquer equipe.

"Não podemos mudar nossa mentalidade. Passamos de fase no grupo mais difícil do Mundial. Ninguém acreditava que fôssemos avançar. O primeiro objetivo, conseguimos. Não estamos contentes pela derrota (3 a 0 contra a Suécia) porque tínhamos na mão o primeiro lugar. Mas agora não se pode lamentar", disse.

 

Encarar o Brasil nas oitavas de final, no entanto, não é uma surpresa para Guardado. Ele admitiu que a expectativa inicial era ver a Alemanha em primeiro lugar do seu grupo e sua seleção buscaria a segunda vaga. Com isso, enfrentaria o líder do Grupo E, a seleção brasileira.

"Vai ser o jogo de nossas vidas. Não tem motivação maior do que enfrentar o time pentacampeão do mundo. Temos que dar continuidade ao que vem dando certo. Não sou treinador para decidir quem vai jogar, mas estamos preparados. Todos temos a capacidade para ser titular", finalizou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.