Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Capitão do Napoli, Insigne vê traição se Sarri aceitar ser técnico da Juventus

Atacante afirma que reprovaria atitude do treinador de aceitar oportunidade de trabalhar em rival

Redação, Estadão Conteúdo

05 de junho de 2019 | 12h14

Desde que a Juventus anunciou a saída do técnico Massimiliano Allegri, no último dia 17, as especulações sobre o novo comandante da equipe de Cristiano Ronaldo giraram em torno de dois nomes: Antonio Conte e Maurizio Sarri. O primeiro, que já dirigiu até a seleção italiana, acertou contrato com a Inter de Milão e o segundo pode deixar o Chelsea para assumir o comando do time de Turim.

A possível ida de Sarri à Juventus já causou reações negativas em Nápoles, onde o técnico nasceu e comandou o time da cidade, o Napoli, por três temporadas - entre 2015 e 2018 - para depois trabalhar no Chelsea. Capitão da equipe napolitana e convocado pela seleção para dois jogos pelas Eliminatórias da Eurocopa de 2020, o atacante Lorenzo Insigne disse nesta quarta-feira que será uma traição se o treinador for para a atual octocampeã nacional.

"Sarri na Juventus para nós (napolitanos) seria uma traição e espero que ele mude de ideia", afirmou o jogador, em uma entrevista coletiva no centro de treinamento da seleção italiana, em Coverciano, na região da Toscana. A Itália, líder do Grupo J das Eliminatórias com 100% de aproveitamento após duas rodadas, jogará neste sábado contra a Grécia, em Atenas, e na próxima terça-feira contra a Bósnia-Herzegovina, em Turim.

"Mas tem que levar em conta que Sarri é profissional e o Napoli lhe deu tudo. Foi importantíssimo para mim em muitos pontos de vista. Se for para a Juventus será ruim para nós, mas não posso reprovar nada. É uma decisão dele", comentou Insigne, outro natural de Nápoles e ídolo da torcida por sair das categorias de base do clube.

O atacante revelou que mantêm contato com Sarri e o parabenizou na semana passada após o Chelsea conquistar o título da Liga Europa. "Fiquei muito feliz. No final da partida mandei mensagens para ele e para o Jorginho (volante brasileiro naturalizado italiano, que também deixou o Napoli e foi para o clube inglês)", disse Insigne.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.