Glyn Kirk/ AFP
Glyn Kirk/ AFP

Capitão do Watford diz que há 1 ou 2 jogadores não heterossexuais em cada time

Troy Deeney afirma que esses atletas não assumem sua orientação sexual causa do receio de uma possível má reação da comunidade futebolista

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2020 | 20h24

O atacante e capitão do Watford, Troy Deeney, afirmou que o futebol está repleto de atletas que não são heterossexuais. De acordo com o jogador, que é uma das figuras politicamente mais ativas do Campeonato Inglês, esses atletas não assumem sua orientação sexual causa do receio de uma possível má reação da comunidade futebolista.

"Falo para que fique registrado: provavelmente, há um jogador gay ou bissexual em cada time de futebol", revelou o inglês, de 35 anos, em entrevista ao podcast "Grounded with Louis Theroux", da BBC.

Segundo Deeney, os jogadores que não são heterossexuais, não querem ser os pioneiros a assumirem suas preferências sexuais. Todavia, o atacante afirma que, caso um atleta relevante revelasse sua sexualidade, outros também revelariam.

"Acho que agora existe uma plataforma maior do que nunca para ser um atleta gay de qualquer natureza. Também me pergunto por que as pessoas se aposentam do futebol, do rúgbi, ou de qualquer outro esporte, e depois falam 'eu sou gay'. Sinto que deve ser um fardo muito pesado para carregar por toda a sua carreira esportiva", disse.

Deeney foi um dos poucos jogadores ingleses que se recusou a voltar aos treinos depois da pandemia da covid-19. Ele liderou um movimento de atletas, que também não se sentiam confortáveis com a retomada dos treinos e pediam a prorrogação da suspensão das atividades futebolísticas no país.

 
 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.