Capitão irlandês abandona seleção

A intolerância religiosa na Irlanda do Norte pode levar o capitão da seleção irlandesa, Neil Lennon, de 31 anos, a deixar o futebol muito mais cedo do que previa. O jogador, do Celtic de Glasgow, anunciou nesta quinta-feira que não pretende mais jogar pela seleção de seu país, em conseqüência das ameaças de morte que recebeu na véspera, minutos antes do início do amistoso da Irlanda contra a seleção de Chipre, em Belfast. Católico, Lennon foi ameaçado de morte por representantes de um grupo paramilitar protestante, identificado como Forças de Voluntários Legalistas, contrário ao processo de paz. Diante da ameaça Lennon decidiu não participar da partida, que terminou com empate por 0 a 0. Lennon explicou que esta não foi a primeira vez que recebeu ameaças deste tipo e decidiu não mais jogar pela seleção para evitar retaliações contra sua família. ?É muito triste que isso tenha de terminar assim, mas não quero que cada vez que eu jogue, eles (os familiares) tenham de passar por isso?, explicou.

Agencia Estado,

22 Agosto 2002 | 09h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.