Jonathan Nackstrand / AFP
Jonathan Nackstrand / AFP

Capitão islandês crê que seleção evoluiu por jogadores atuarem em outros países

Aron Gunarsson também valoriza melhora da estrutura utilizada pelos futebolistas dos país nórdico

Estadão Conteúdo

11 Junho 2018 | 10h26

O meio-campista Aron Gunnarsson acredita que a exportação de atletas islandeses para jogar campeonatos em outros países foi determinante para o sucesso da equipe nacional. Eliminada apenas nas quartas de final da última Eurocopa, em 2016, e classificada para uma Copa do Mundo pela primeira vez, a seleção da Islândia vai contar no Mundial na Rússia com só um jogador que atua em sua liga local - Birkir Már Saevarsson, que defende o Valur.

+ Islândia leva gol no final e empata com Gana em último amistoso antes da Copa

+ Argentino Lanzini sofre grave lesão no joelho e deve ser cortado da Copa

+ Putin usa Copa do Mundo para passar mensagem ao resto do mundo

"Você tem de sair do país para progredir. Para melhorar é preciso jogar contra outros times, contra atletas melhores. Nos ajudou bastante na seleção ter vários jogadores que atuam fora da Islândia", afirmou Gunnarsson em entrevista ao site oficial da Fifa. O meio-campista disputou a última temporada pelo Cardiff City, que ficou em segundo lugar na segunda divisão da Inglaterra e vai disputar a próxima edição da Premier League, a elite do Campeonato Inglês.

Gunnarsson também credita a evolução dos resultados da seleção islandesa a um núcleo entrosado, que há anos joga junto. O atleta e outros oito convocados para o Mundial são nascidos entre 1987 e 1991. "A maior parte do grupo daquela geração ainda está por aqui. Nós nos conhecemos muito bem e isso influenciou. Sabemos nossos pontos fortes e fracos", atestou o capitão da equipe.

 

O projeto de fortalecimento da Islândia no futebol prossegue com investimentos em estrutura para a seleção principal e as categorias de base. "Era difícil realizar um treino por aqui. Não é que neva muito, mas o vento gelado atrapalha. Agora nós tempos ótimas instalações, com gramados artificiais e arenas fechadas", afirmou o técnico Heimir Hallgrímsson, que vai comandar a equipe na Copa.

A Islândia vai estrear no Mundial contra a Argentina neste sábado, às 10 horas (de Brasília), em Moscou. Nigéria, no dia 22, e Croácia, no dia 26, serão os demais adversários islandeses no Grupo D do torneio.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.