Francois Lenoir / Reuters
Francois Lenoir / Reuters

Capitão sueco provoca: 'Quem diria que a Alemanha pode ser eliminada'

Andreas Granqvist reconhece, entretanto, que adversário tem time melhor e mais experiente

Ciro Campos, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

22 Junho 2018 | 10h26

Em uma Copa do Mundo em que favoritos têm passado dificuldade, a Suécia espera se aproveitar desse cenário para neste sábado, em Sochi, impor a segunda derrota da Alemanha no torneio. Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o zagueiro e capitão sueco Andreas Granqvist, afirmou que ninguém esperaria que os atuais campeões do mundo estariam em situação difícil e desesperados por vitória.

+ Jogadores da Suécia sofrem com problemas estomacais antes de enfrentar Alemanha

+ Volante da Suécia mostra confiança: 'Podemos fazer os campeões mundiais tremerem'

+ Goleiro da Suécia minimiza derrota da Alemanha na estreia e prevê jogo complicado

A Alemanha perdeu para o México por 1 a 0 em Moscou, no último domingo, e precisa se recuperar neste sábado para se manter com chance de classificação às oitavas de final. "A Alemanha é um grande favorito e pode não se classificar para as oitavas de final. Algo que poucos poderiam acreditar. Quem diria que eles podem ser eliminados", afirmou o defensor de 33 anos.

A Suécia começou bem na Copa do Mundo ao ter vencido por 1 a 0 a Coreia do Sul, na última segunda-feira, e em caso de novo resultado positivo, estará muito perto da classificação à próxima fase. Curiosamente, a última participação do país em um Mundial foi em 2006, na Alemanha, quando a equipe acabou eliminada justamente pelo time da casa nas oitavas de final, por 2 a 0.

Os alemães sentem a pressão do momento difícil e anteciparam a vinda para Sochi. Em vez de se dirigirem à cidade na antevéspera do jogo, a equipe chegou com quatro dias de antecedência e procurou viver em um ambiente de praia, parecido ao encontrado na concentração na Copa do Brasil, em 2014. Originalmente os alemães estão baseados em Vatutinki, nos arredores de Moscou.

 

Granqvist reconheceu que mesmo em fase difícil, a Alemanha é favorita a vencer e superar momento ruim. "No papel eles têm um time melhor, mais experiente, com jogadores de grandes clubes. Mas vamos fazer o máximo em campo. Tenho certeza de que somos capazes de ganhar essa partida", afirmou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.