Capixaba vira estrela no São Caetano

De simples coadjuvante a estrela do São Caetano. No vai-e-vem do futebol, o meia Luís Carlos Capixaba curte o seu novo status dentro do Azulão, principalmente após os dois gols marcados no empate de 2 a 2 com o Cruzeiro, domingo, no Mineirão. Além de salvar o time da quarta derrota consecutiva, ele deixou o campo como herói após marcar o segundo gol aos 44 minutos do segundo tempo. Contratado ano passado simplesmente para compor o elenco, ele se adaptou ao estilo competitivo exigido pelo técnico Mário Sérgio, um de seus maiores defensores. "O Capixaba tem habilidade, marca e também sabe atacar como provam os dois gols que marcou", argumenta o treinador, que por causa de Capixaba barrou o consagrado Adãozinho, agora no Palmeiras. O meia rejeita comparações, mas não esconde o orgulho de poder defender bem o seu time. "Sempre que entro em campo vou consciente de que preciso dar o máximo. Acho que este é meu segredo", confessou. Mas ele reconhece, porém, que não tem como principal característica a artilharia. "Já atuei como meia avançado, mas me adaptei bem às determinações do "professor" (Mário Sérgio), de marcar no meio-campo". Capixaba vai completar 30 anos no próximo dia 12 e acredita que vive no São Caetano um dos melhores momentos de sua carreira, que começou no Rio Branco, do Espírito Santo. Depois passou por Desportiva-ES, Moto Clube-MA, Ferroviária-SP, Tuna Luso-PA, Ponta Grossa-PR e Bahia. "Sinceramente nunca tive um ambiente tão bom quanto este aqui no São Caetano". Talvez, este seja um dos seus segredos para o seu sucesso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.