Careca só tem boas lembranças de Maradona

Falar de Maradona, mesmo na situação em que o craque argentino se encontra, não parece ser problema para Careca. Saudosistas, as declarações do ex-atacante brasileiro, parceiro inseparável nos tempos de Nápoli, só vem a contrariar a fama de mal-humorado e polêmico, conquistada por "El Pibe" durante a sua carreira. "Joguei e convivi com Diego durante quatro anos. Ele sempre foi uma pessoa alegre acima de tudo. Em todas as ocasiões que presenciei, foi atencioso e carinhoso com amigos e, principalmente com a família", revelou o amigo. Maradona e Careca jogaram juntos na época áurea do Nápoli, da Itália. A parceria entre os dois começou em 1987 e durou até 1991. Nos quatro anos que estiveram juntos, os dois conquistaram importantes títulos europeus, como a Copa da Uefa, o Campeonato Italiano e a Supercopa dos Campeões da Uefa. Separados pelos caminhos do futebol, os parceiros mantiveram a amizade, que rendeu algumas visitas do argentino à cidade de Campinas. Maradona esteve no Brasil na inauguração do centro esportivo do atacante brasileiro, em Campinas, e logo após a Copa de 90. Se fora de campo a parceria já era inabalável, dentro dele os dois eram mais inseparáveis ainda. Segundo o brasileiro, um era o complemento do outro, o que respondia à pergunta constante na época: como eles fazem isso? "O nosso sucesso é muito simples de se explicar. Além da técnica extraordinária, que ele tinha muito mais do que eu, nenhum dos dois tinha inveja do outro. Sabíamos que se um estivesse bem o outro estaria também. Um jogava para o outro." Careca procura estar sempre informado do estado de saúde do amigo mas, segundo ele, a comunicação está muito difícil. Conversando com um amigo em comum, o brasileiro disse que soube de uma melhora de Maradona e aguarda apreensivo novidades. Embarcando para a Itália, onde participará de uma partida comemorativa em homenagem aos dez anos da morte de Ayrton Senna, Careca não pretende, por enquanto, visitar Maradona na Argentina. No sábado pela manhã, quando estará de volta ao Brasil, o ex-atacante espera ter boas notícias e decidirá se irá até Buenos Aires.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.