Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Carille deixa o Corinthians e acerta com o Al-Wehda, da Arábia Saudita

Após se irritar com notícias de que iria deixar o clube, técnico aceita a oferta de clube árabe e não trabalha mais no time brasileiro

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2018 | 20h38

Após se exaltar e garantir que não tinha nenhuma proposta para deixar o clube, o técnico Fábio Carille anunciou nesta terça-feira para a diretoria do Corinthians que aceitou a oferta do Al-Wehda, da Arábia Saudita, e não dirige mais a equipe alvinegra. Com isso, chega ao fim uma novela que desgastou bastante a imagem do treinador nos últimos dias.

+ Acordo com o Inter por Roger permite Lucca enfrentar o Corinthians 

+ Balbuena e Romero podem desfalcar o Corinthians por dois jogos

+ Sem jogar há mais de dois meses, Kazim aguarda propostas no Corinthians

O acerto foi anunciado inicialmente no Twitter do Al-Wehda e minutos depois, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, confirmou a informação ao Estado. O treinador não irá sequer dirigir o time contra o Millonarios, nesta quinta-feira, na Arena Corinthians. A equipe será comandada por Osmar Loss.

Carille deixa o clube após 114 jogos (somando as passagens como interino), sendo 59 vitórias, 32 empates e 23 derrotas. O treinador deve levar junto o auxiliar técnico Leandro Silva, o Cuca, e o preparador físico, Walmir Cruz. Ambos fazem parte de sua comissão técnica fixa. 

Antes do acerto com os árabes, Carille deixou de lado o tom sempre calmo e a postura equilibrada nas entrevistas para atacar a imprensa, que segundo ele, inventou muitas notícias sobre sua possível saída. Dentre outras informações veiculadas na mídia, uma foi a conversa do pai do técnico, Joaquim, com jornalistas – ele afirmou que o filho havia contado para ele que tinha recebido uma proposta “irrecusável”.

O ex-comandante corintiano chegou a negociar também com o Al-Hilal, mas o clube árabe parece mais disposto a fechar com o português Jorge Jesus, do Sporting. Após a entrevista polêmica dada no Recife, o treinador pediu desculpas, mas reafirmou que as informações não eram totalmente verdadeiras. No fim, algo que fez Carille aceitar a oferta do clube árabe foi a questão financeira. 

No Al-Wehda, o treinador ganhará próximo da oferta do Al-Hilal, que era de R$ 1,2 milhão por mês, valor superior aos R$ 320 mil que recebe no Brasil. 

O time foi promovido nesta temporada para a elite do Campeonato Árabe. O clube já contratou sete jogadores para disputar a primeira divisão nacional e conta, por enquanto, com um brasileiro. O atacante Felipe Adão, ex-Botafogo e Vasco.

Carille assumiu o Corinthians no fim de 2016 e logo em sua primeira temporada, já ganhou o Campeonato Paulista e o Brasileirão, com uma campanha surpreendente. O clube passou todo o primeiro turno sem perder no Nacional. Superando as desconfianças, se tornou unanimidade entre os torcedores e chegou a ser sondado até por outros times brasileiros.

Segundo o presidente Andrés Sanchez, o Flamengo ofereceu uma proposta de R$ 1 milhão por mês para o treinador, algo que ninguém chegou a confirmar. O Atlético-MG também tentou levá-lo. 

Com a confirmação do negócio, o Corinthians soltou uma nota de agradecimento pelos serviços prestados pelo treinador. “O Sport Club Corinthians Paulista informa que foi comunicado nesta terça-feira (22), às 20h10, que o técnico Fábio Carille aceitou a proposta do Al Wehda, da Arábia Saudita”, diz.

A nota continua. “O clube agradece Fábio Carille pelos dez anos de serviços prestados desde auxiliar até treinador, pelos títulos conquistados e a todos os profissionais que se dedicaram neste período. A diretoria do Corinthians acredita no apoio da torcida que sempre está com o time em qualquer ocasião”, finaliza o documento.

Tudo o que sabemos sobre:
Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.