Ivan Storti/ Santos FC
Ivan Storti/ Santos FC

Carille admite falhas e vê jogadores do Santos sofrendo com pressão: 'Assustados'

Equipe alvinegra tem oscilado no Campeonato Paulista, mas vitória sobre Ituano traz alívio a atletas e comissão técnica

Redação, Estadão Conteúdo

13 de fevereiro de 2022 | 20h15

Com dificuldade financeira e sem Marinho, que reforçou o Flamengo, o Santos tem apostado nos jogadores formados nas categorias de base para a temporada. Após a vitória por 2 a 1 diante do Ituano, na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, pela sexta rodada do Campeonato Paulista, o técnico Fábio Carille enalteceu o grupo, mas admitiu erros pontuais causados pela imaturidade do elenco.

"Fizemos um bom jogo até os 35 minutos do primeiro tempo. Erramos muito nos dez minutos finais, tanto erro técnico quanto erro tático. Cobrei no intervalo e mostrei os lances que falhamos. Isso faz o adversário crescer e acabamos sofrendo dificuldades diante de um time muito bem treinado por Mazola Júnior. Temos um time jovem e isso acaba pesando também. A soma de tudo faz com que a gente não tenha controle e sabedoria para conduzir o jogo. Não estamos sabendo jogar com o resultado a favor", falou o treinador.

Carille entrou na partida pressionado com o desempenho apenas regular do Santos no Campeonato Paulista. O treinador admitiu que essa pressão vem afetando alguns jogadores, principalmente os mais jovens.

"Estamos vendo jogadores assustados com a pressão. Cada um é de um jeito, de uma personalidade. Pela experiência de vestiário a gente sente esse peso em alguns atletas e o desempenho pode atrapalhar. Mas não vou citar nomes", completou o treinador.

Contra o Ituano, Carille apostou novamente no sistema 4-3-3, mas indicou que pretende montar o Santos no 4-4-2, assim como fez na vitória por 2 a 1 diante do Corinthians. O treinador também comentou sobre a queda de produção da equipe durante os jogos e alfinetou o calendário do futebol brasileiro.

"O Santos vem correndo errado. Estamos cometendo erros técnicos e, com isso, o adversário fica com a bola e acabamos cansando. Não temos tempo para treinamentos, é jogo atrás de jogo. Eu acredito muito no sistema 4-4-2. Daqui a pouco vou estar com o grupo inteiro, com cada jogador na sua posição e buscando o seu lugar no time", completou.

Com o resultado conquistado neste domingo, o Santos chegou ao quarto jogo sem derrota e acirrou a briga por vaga nas quartas de final do Paulistão. O time alvinegro, que encara o Mirassol na próxima rodada, tem nove pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.