Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Carille admite que situação do Corinthians 'ficou difícil' para o jogo de volta

Apesar de reconhecer dificuldade, técnico considera que duelo contra o Flamengo continua aberto

João Prata, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2019 | 00h12

O técnico Fábio Carille mais uma vez admitiu que o ataque do Corinthians deixou a desejar, mas tratou de dizer que o time tem totais condições de reverter a vantagem do Flamengona coletiva desta quarta-feira logo após a derrota por 1 a 0 no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

"O resultado se torna mais difícil, mas não é impossível. É jogo grande, de detalhes. O gol que tomamos foi de infiltração, que eu já sabia. O Bruno (Henrique) foi muito bem pela esquerda. São jogos grandes e iguais. Amanhã (quinta-feira), analisando com mais tranquilidade, consigo te dizer se fomos pior, melhor ou igual", disse. 

"Está muito aberto. Tudo pode acontecer. Tivemos exemplos no futebol, que aconteceram na Europa semana passada. É um gol de diferença, um gol que te coloca na disputa de pênaltis. Está muito aberto ainda", prosseguiu.

Para o treinador o foco do trabalho seguirá no setor ofensivo. No duelo com o Flamengo ele surpreendeu na escalação e colocou um time ofensivo em campo, com apenas Ralf como volante. O setor de frente, com Sornoza, Mateus Vital, Clayson, Vagner Love e Boselli, no entanto, não rendeu o esperado. Sem chutar a gol no primeiro tempo, Carille precisou mexer na etapa final com as entradas de Pedrinho e Jadson.

"Vamos buscar melhorar a parte ofensiva, tentando recuperar jogadores. Gostei da entrada do Jadson. Ele tentou fazer o time jogar. Nunca escondi que tínhamos que melhorar a parte ofensiva. É isso que temos que melhorar", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.