Reprodução/ TV Corinthians
Reprodução/ TV Corinthians

Carille agradece torcedor corintiano: 'Teve muito peso na minha volta'

Treinador chegou a São Paulo no último sábado e vem conversando com a diretoria para reforçar o elenco

João Prata, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2018 | 15h53

O técnico Fábio Carille agradeceu ao apoio que tem recebido dos torcedores corintianos. Desde que começaram as especulações sobre a volta ao Corinthians até o desembarque em Guarulhos no último sábado, o treinador se mostrou surpreso com o as demonstrações de afeto da Fiel.

"Torcedor corintiano, muito obrigado pelo carinho. Me surpreendi com o carinho de todos vocês e isso teve muito peso na decisão da minha volta. Muito obrigado por tudo isso", disse o treinador à TV Corinthians. 

Apesar de ter chegado no final de semana, Carille vem conversando com a diretoria do clube desde que foi oficializado, há duas semanas. O volante Ramiro, confirmado na  última quinta-feira, chegou a pedido do treinador. "O primeiro passo é buscar jogadores com o perfil do Corinthians para montar um elenco equilibrado e fortalecido", disse. 

"Minhas expectativas são as melhores, por conhecer ambiente, a casa... Sei que a diretoria está se esforçando muito para ter um elenco forte. Pretendemos fazer uma boa pré-temporada e um início de campeonato muito bom", complementou.

A apresentação oficial de Carille ao Corinthians deverá acontecer em 3 de janeiro, quando todo o elenco voltará de férias. O treinador retorna depois de ficar por sete meses à frente do Al-Wehda, da Arábia Saudita. Ele volta com quase toda a sua comissão técnica.

Estão confirmados o auxiliar Leandro Silva, o observador técnico Mauro da Silva, o preparador físico Walmir Cruz e o analista de desempenho Denis Luup. A exceção será o preparador de goleiros Mauri Lima por não ter boa relação com o presidente Andrés Sanchez.

Carille volta também na tentativa de buscar o tricampeonato consecutivo do Paulista, feito que o Corinthians não consegue desde a década de 30, quando faturou o Estadual em 1937, 1938 e 1939. 

"O bi com o mesmo técnico fazia muitos anos também. Acho que foi nos anos 50. o clube foi tri nos anos 30, já faz muito tempo também. Mas o primeiro passo é deixar claro uma ideia de jogo. Para que tenham uma disputa saudável e jogue sempre os melhores. Vamos passo a passo jogo a jogo para que a gente possa jogar bem", finalizou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.