Daniel Augusto Jr/ Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr/ Ag. Corinthians

Carille coloca Marllon na zaga e indica Corinthians contra o Ceará

Treinador manteve a equipe que venceu o Santos por 2 a 1 e trocou apenas Manoel, machucado

João Prata, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2019 | 16h37

O técnico Fábio Carille indicou nesta terça-feira o Corinthians que deve entrar em campo para enfrentar o Ceará, quarta-feira, no jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil. O treinador fez apenas uma alteração em relação ao duelo com o Santos, pelo Paulista.

O zagueiro Manoel não apareceu no campo porque se recupera de problema no ombro esquerdo. No lugar dele entrou Marllon. No trabalho do dia anterior Carille já havia dado atenção especial ao defensor que foi contratado junto à Ponte Preta.

Também havia a possibilidade de o treinador mexer em ao menos outras duas posições. No entanto, ele optou por manter Sornoza no meio-campo em vez de Jadson e também preferiu Vagner Love aberto na direita em vez de Pedrinho.

O Corinthians venceu o Ceará por 3 a 1 no jogo de ida e pode perder a volta, em Itaquera, às 21h30, que avança à quarta fase da Copa do Brasil. A tendência é que o time entre em campo com: Cássio; Fagner, Henrique, Marllon e Danilo Avelar; Ralf, Junior Urso e Sornoza; Vagner Love, Gustagol e Clayson.

Após um rápido aquecimento, Carille chamou os titulares e os colocou para treinar em um campo diferente do restante do elenco. O treinador chegou a fazer um rápido mistério e indicou Vagner Love por último - ele disputa posição com Pedrinho. Os reservas fizeram um coletivo em campo reduzido. 

Romero, que está afastado do elenco por não ter renovado contrato, treinou de colete amarelo, como coringa, enquanto de um lado trabalhavam jogadores com camisa azul e do outro atletas com colete branco. Os titulares começaram com um trabalho defensivo, de bolas alçadas na área.

Depois, Carille chamou Marllon e fez um treino à parte. Na sequência foi a vez de Henrique realizar a mesma atividade de afastar lançamentos que chegavam do campo de ataque.

O trabalho foi leve em função da sequência de jogos. Houve treinamento de pênaltis (se o Ceará vencer por dois gols de diferença, a vaga será definida nas cobranças). Aos poucos os titulares foram se recolhendo. Vagner Love e Clayson foram os últimos a deixar o gramado. Ambos ficaram treinando finalizações no goleiro Caíque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.