Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Carille conta que assédio europeu quase tirou título do Corinthians

Técnico revela que intensa procura de outras equipes atrapalhou jogadores e causou queda de rendimento no segundo turno

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

26 Novembro 2017 | 20h48

O técnico Fábio Carille, do Corinthians, estava aliviado neste domingo a ponto de falar os bastidores do pior momento da equipe na temporada. Após receber a taça de campeão brasileiro ao fim do empate em 2 a 2 com o Atlético-MG, na Arena Corinthians, o treinador contou que durante a queda de rendimento do time, teve trabalho com a ansiedade e a procura de outras equipes por jogadores corintianos.

+ Cássio exalta honra de erguer a taça: 'Fiquei até nervoso'

+ Tabela do Campeonato Brasileiro 2017

Depois de passar o primeiro turno invicto, a segunda metade da competição trouxe obstáculos ao Corinthians. A equipe acumulou seis derrotas no returno antes de garantir o título e chegou a ter o risco de ser ultrapassada pelo Palmeiras. Carille disse na entrevista coletiva neste domigno que a vantagem confortável e as propostas vindas por clubes do exterior atrapalharam a concentração.

"Agora que acabou dá para falar. Muito se falar de concentração e realmente perdemos o foco. Muitos jogadores sendo procurados e a diretoria trabalhando. É natural que o atleta tenha a cabeça em outro lugar. Apareceram muitos times da Europa, por conta do nosso om primeiro turno", disse o treinador. O Corinthians conseguiu segurar a liderança e confirmou o título com na 35ª rodada.

O treinador reconheceu que também estava ansioso para que o campeonato terminasse logo, pois temeu deixar escapar a vantagem. "A gente se perdeu um pouco no começo do segundo turno, quando começou a procura e o assédio por jogadores. Houve também a responsabilidade de estar estar na frente e de ser campeão. Eu não sabia que o ano seria tão bom, mas tinha certeza de que não íamos brigar para cair", comentou o técnico, que ganhou também o Campeonato Paulista.

O motivo de preocupação no meio de campeonato deve voltar a amedrontar Carille nas próximas semanas. O treinador afirmou que deve perder mais jogadores na janela de transferências. "Estamos arriscados a perder mais algumas peças. Mas até o fim do ano vamos ter reforços. Tem muita coisa acontecendo. Quero estar com o elenco 90% definido até o começo da pré-temporada", disse.

Do time campeão brasileiro, a saída mais recente já encaminhada é a do lateral-esquerdo Guilherme Arana. O jogador confirmou em entrevista recente que vai reforçar o Sevilla, da Espanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.