Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Carille dá resposta no campo para quem considerou Corinthians 'quarta força'

Com 3 a 0 em Campinas, treinador já vislumbra a possibilidade de conquistar taça diante da própria torcida

Gonçalo Junior e Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2017 | 19h12

A vitória do Corinthians por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, em Campinas, deixou o clube do Parque São Jorge em ótimas condições para o duelo de volta, domingo, em seu estádio em Itaquera. Para o técnico Fabio Carille, a vitória convincente provou que a equipe deixou de ser a "quarta força" do Campeonato Paulista com muito trabalho.

"No começo do ano o Corinthians era a quarta força. Até a gente achava isso. O Palmeiras campeão brasileiro e se reforçando, o Santos com Lucas Lima e Ricardo Oliveira, o São Paulo contratando. Mas nos fechamos para trabalhar. Errei algumas vezes, mas nunca deixei de priorizar a defesa, sabia que com um time forte atrás as coisas acontecem", explicou.

Pregando humildade para o jogo de volta, Carille ainda considera o Palmeiras a melhor equipe paulista, mas ressalta: "Muitas vezes o melhor não ganha. O que me faz fortalecer é o dia a dia. Não fico pensando em título. Penso no amanhã, o que posso melhorar no time, assim será minha carreira."

Só que o treinador já vislumbra a possibilidade de conquistar uma taça diante da própria torcida em casa no próximo domingo. Ele sabe que o time, em algumas ocasiões, como recentemente contra o Internacional, pela Copa do Brasil, deixou a desejar em disputas de mata-mata. Mas ele entende que seus comandados têm tudo para dar alegria para a Fiel.

"A respeito da eliminação, tivemos algumas marcantes, de Libertadores, mas algumas classificações, como contra o Fluminense ano passado. Claro que os jogos de Libertadores ficaram marcados. Vou levar com muita seriedade essa semana para que a gente não faça nada com desrespeito em relação à Ponte. Mas vai ser uma emoção muito grande comemorar um título no nosso estádio", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.