JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Carille defende fim da torcida única e diz que confusões ocorrem longe do estádio

Técnico espera ver torcedores dos dois times em jogos válidos pela semi do Paulista

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2017 | 07h00

As diretorias de Corinthians e São Paulo se uniram para pedir o fim da torcida única em clássicos, visando a semifinal do Campeonato Paulista nos dois próximos domingos. O técnico Fábio Carille apoiou a ideia e lembrou que as confusões ocorridas entre torcidas raramente são em torno ou dentro dos estádios.

"Acho isso muito importante. Já tivemos histórias de uma torcida só no estádio, e os caras se encontrarem no metrô. Tentaram isso, mas não foi muito positivo. Tivemos alguns clássicos com duas torcidas no nosso estádio e não me lembro de nenhuma situação ali perto. Se acontecer, é algo legal e bom para os dois times", comentou o treinador. 

Nesta terça-feira, durante a reunião para definir a data dos confrontos da semifinais, os dirigentes de São Paulo e Corinthians, com o apoio do Palmeiras, pediram que a decisão seja alterada. 

"A questão da torcida única é injusta. É ruim para o futebol. A gente vai solicitar. Não é só por conta do Palmeiras. Esse castigo foi dado aos clubes da capital. Vamos fazer uma solicitação e vamos ver se seremos atendidos", afirmou o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade.

O dirigente afirma que o ideal seria voltar à divisão meio a meio, com 50% dos ingressos para cada clube, mas reconhece que a liberação 10% da carga de ingressos para o visitante seria suficiente. "Não se trata de ofício, nada, queremos apenas uma conversa", disse o dirigente.

Apesar do pedido, a tendência é que os jogos continuem tendo apenas torcedores do time mandante. Assim, neste domingo, só são-paulinos vão ao Morumbi e no domingo que vem, a Arena Corinthians receberá apenas corintianos.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.