Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Carille defende Rodriguinho e aponta marcação como motivo para má fase

Técnico afirma que se enfrentasse o Corinthians também faria questão de ter uma atenção especial com o meia

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2017 | 07h01

O técnico Fábio Carille saiu em defesa do meia Rodriguinho após o empate sem gols com o Grêmio, quarta-feira, na Arena Corinthians. O jogador teve mais uma atuação bem abaixo do esperado e, segundo o treinador, o problema é a forte marcação dos adversários.

+ Jogadores do Corinthians destacam ter evitado aproximação do Grêmio

“A gente tem que analisar toda a situação. Se eu jogo contra o Corinthians, marco o Rodriguinho. Ele não tem espaço para jogar e os técnicos estão sendo inteligentes nisso. Pode ser mais, mas hoje (quarta-feira) também dobraram a marcação sobre ele. É assim”, comenta o comandante corintiano.

Carille gosta de estudar os adversários e acredita que também está sendo mais observado e vigiado pelos rivais. “O Maycon também não consegue mais subir, porque estão marcando ele muito bem. A gente procurou fazer o Luan ficar longe da nossa área e agora não dá mais para ser surpreendido por nada. Temos que ser inteligente neste momento.”

+ Corinthians empata com o Grêmio em jogo morno e mantém vantagem

O treinador acredita que a queda de rendimento não se dá apenas com o Corinthians e os números mostram que houve uma queda dos principais times do Brasileiro. “Os primeiros colocados teve uma queda no nível, essa é a verdade. O campeonato chegou em um momento que os times têm objetivos bem definidos e isso não vai ser só com o Corinthians”, analisa.

+ Casamento no gramado da Arena Corinthians agita intervalo da partida com o Grêmio

O elenco do Corinthians volta aos treinos nesta quinta-feira e na segunda-feira encara o Botafogo, no Rio de Janeiro. Antes, ficará na torcida contra o Santos, que enfrenta o Sport, nesta quinta. Caso o time santista vença, ultrapassa o Grêmio, chega aos 52 pontos e fica à sete pontos da liderança.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.