Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Carille diz que formação do Corinthians favorece Rodriguinho por vaga na Copa

Técnico elogia fase do meia, que marcou mais uma vez na vitória sobre o Paraná por 4 a 0 neste domingo

Estadão Conteúdo

22 de abril de 2018 | 14h22

Um dos principais responsáveis pelo bom momento de Rodriguinho, que vive fase artilheira neste ano no Corinthians e marcou mais uma vez neste domingo na goleada por 4 a 0 sobre o Paraná, neste domingo, em Curitiba, o técnico Fábio Carille considerou que a formação que ele vem adotando para armar o time alvinegro ajuda o meia na sua briga para estar na lista de convocados por Tite para a Copa do Mundo da Rússia.

TEMPO REAL: Corinthians 4 x 0 Paraná

Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

Mais notícias do Campeonato Brasileiro

Com o gol sobre o Paraná, o primeiro da partida, Rodriguinho balançou as redes sete vezes nesta temporada, sendo cinco destes gols marcados nos últimos sete jogos. Ele aparece como o principal jogador do Corinthians em 2018 e assim se credencia para vestir a camisa da seleção brasileira no Mundial.

"Com essa formação, deixamos ele mais perto do gol. E sabemos da qualidade que ele tem, com a perna esquerda, com a perna direita. Com essa formação, ele fica mais perto. De 2016 pra cá, só em uma parte do segundo semestre do ano passado ele deu uma caída. Em 2016 chamou a responsabilidade, ano passado no Paulista também e neste ano está muito bem", disse Carille em entrevista coletiva após a vitória. "Se for convocado, será merecido", avaliou.

O treinador corintiano considera ser possível uma nova arrancada no Brasileirão, a exemplo do início da campanha vitoriosa do time no ano passado, quando o Corinthians entrou para a história da competição ao terminar o primeiro turno invicto.

"É muito difícil, mas aconteceu uma vez (a arrancada). Eu passo para o grupo que a gente tem que estar embolado ali entre os primeiros e após dez rodadas sempre estar próximo (da liderança) para nos últimos jogos, a gente medir forças mesmo (com outros rivais que lutam pela taça)", considerou o treinador, que se mostrou satisfeito em relação à atuação dos seus comandados na vitória deste domingo.

"O resultado foi muito grande. O time teve a tranquilidade de rodar a bola, seguramos a pressão inicial que já esperávamos. E os quatro gols foram de bola trabalhada, de lado oposto, tudo o que a gente exige", pontuou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.