Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Carille evita fazer prognósticos contra o Santos: 'Vai ser difícil, eles propõem o jogo'

Técnico destaca poder ofensivo do rival, que irá enfrentá-lo na semifinal do Paulista

João Prata, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2019 | 00h21

O técnico Fábio Carille comemorou o fato do Corinthians de poder enfrentar o Santos nas semifinais do Campeonato Paulista porque terá um dia a mais para recuperar a equipe do desgastante duelo com a Ferroviária.

Como o Palmeiras tem jogo pela Libertadores na próxima terça-feira, o time alviverde enfrentará o São Paulo na outra semifinal no sábado. “Era algo que me preocupava muito ter um dia a menos de preparação. Futebol é qualidade, mas também muita intensidade. Chegaremos no domingo em condição muito melhor”, disse.

Sobre o Santos, evitou fazer prognósticos - as equipes empataram sem gols na primeira fase.  “Difícil falar se vai ser diferente ou igual. Agora a gente começa a estudar a estratégia dos dois lados. Nos enfrentamos, tivemos dificuldades, eles também. É difícil falar o que vai ser, mas vai ser um grande jogo, o Santos é um time que propõe jogo”, analisou.

Na opinião de Carille, o Corinthians fez uma boa apresentação contra a Ferroviária. Ele disse que sabia que seria um jogo intenso, difícil e gostou da postura de sua equipe em campo. “A gente teve oportunidade de matar, a gente agrediu, a gente sabe que a Ferroviária gosta de ficar com a bola. Ainda quero entender o porquê a gente veio tanto para trás no segundo tempo. O time lutou, agora vamos para as semifinais, os quatro grandes. Vai ser bem legal.”

Para as semifinais, o ataque segue como principal indefinição. Ontem o técnico optou por deixar Pedrinho no banco e Vagner Love foi titular. “Sabia que não contaria com o Pedrinho nos 90 minutos por causa da intensidade da partida. Mas  a forma está definida. A briga é por espaço e característica dos jogadores”, finalizou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.