Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Carille nega interferência da diretoria em possível punição a Sheik

Técnico diz que vai analisar o lance antes de decidir por alguma penalização ao atacante

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

03 Maio 2018 | 07h01

Fábio Carille preferiu não comentar a expulsão de Emerson Sheik na derrota do Corinthians por 2 a 1 para o Independiente, nesta quarta-feira, na Arena Corinthians. Entretanto, o treinador deixou claro que, caso exista alguma punição ao jogador, partirá dele a decisão e não dá diretoria.

+ Jogadores culpam minutos iniciais por derrota do Corinthians

+ Corinthians é surpreendido em casa e perde para o Independiente

+ Corinthians inaugura estátua para ex-jogador Sócrates na Arena

"O que tem de ser feito passa por mim, não pela diretoria ou ninguém. Quero ver tudo, se ele foi provocado, não sei. Quando a gente viu, já estava tendo a confusão lá. De toda forma, creio que ele deve ter errado, mas vou ver o lance para depois tomar a decisão", disse o comandante corintiano.

Sheik entrou no lugar de Jadson e ficou apenas 1m40s em campo, até dar uma entrada dura, sem bola, em Miño, e levar o cartão vermelho direto. Com a expulsão, ele não poderá atuar diante do Deportivo Lara, na próxima rodada. 

O jogador postou em sua página no Instagram um pedido de desculpas e admite que errou ao cair na provocação do adversário. "Cometi um erro e certamente sou passivo em errar novamente, já acertei muito e vou continuar fazendo as coisas para que a margem de erros seja bem menor que os acertos ... vou continuar com o foco em levantar mais títulos pelo clube que escolhi amar verdadeiramente", escreveu o atacante, de 39 anos. 

Além dele, desfalques certos para enfrenta o Lara são Clayson, Ralf e RenÊ Júnior, todos machucados. Fagner está sendo analisado dia a dia e também não tem o retorno assegurado ainda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.