Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Carille prepara treino especial para Juninho Capixaba no Corinthians

Lateral-esquerdo tem sido criticado pela dificuldade na marcação

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

28 Janeiro 2018 | 07h00

Contratado com a dura missão de substituir Guilherme Arana na lateral-esquerda, Juninho Capixaba tem sofrido para se adapta ao esquema do Corinthians. No clássico com o São Paulo, ele foi um dos piores em campo no lado alvinegro e o técnico Fábio Carille sentiu a necessidade de fazer um trabalho especial com o jogador, para que ele consiga assimiliar mais rápido o esquema de jogo do treinador.

+ Carille explica que questões físicas fizeram ele escalar Kazim no clássico

A ideia do treinador é aproveitar a primeira semana livre na temporada, sem jogo, para dedicar uma atenção especial ao lateral-esquerdo. “Ele está aprendendo a jogar da forma que jogamos, mas tem personalidade e muita qualidade com a bola no pé. Sobre a marcação, com certeza ele vai estar melhor dentro da nossa ideia”, comentou o treinador.

A marcação é o ponto fraco do jogador. Contra o São Paulo, Eder Militão apareceu com bastante liberdade e em uma das jogadas, cruzou para o gol de Brenner. “Eu acompanho o Juninho há muito tempo e sei que ele precisa melhorar nesse setor. Ele tem coragem, gosta de aprender e está sempre procurando saber o que precisa fazer para evoluir. Ele vai melhorar e essa semana vai ser muito importante para isso”, comentou Carille. Outra opção para a lateral-esquerda é o jovem Guilherme Romão, que entrou no decorrer do clássico.

A semana livre será importante também para que Carille defina quem é seu atacante titular. Diante do São Paulo, Kazim se manteve entre os 11 iniciais, mas novamente não teve boa atuação e aumentou a chance de Júnior Dutra ganhar uma oportunidade na partida contra o Novorizontino, domingo, em Novo Horizonte.  

 

Mais conteúdo sobre:
Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.