Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Carille quer time 'inteligente' e diz que Corinthians não vai se atirar ao ataque

Alvinegro precisa reverter vantagem construída pelo Palmeiras na ida para ser campeão paulista

Estadão Conteúdo

06 de abril de 2018 | 21h14

A derrota para o Palmeiras no primeiro jogo da decisão do Campeonato Paulista obriga o Corinthians a vencer o confronto deste domingo, no Allianz Parque, por pelo menos um gol de diferença para levar a decisão do título para os pênaltis. Entretanto, o técnico Fábio Carille afirma que não vai mandar seu time todo para o ataque.

+ Por segurança, Corinthians não deve ter festa caso seja campeão

+ Emerson Sheik pode prorrogar contrato com o Corinthians

O treinador teme que expor demais a equipe, em busca de um gol, pode dar espaço para os palmeirenses e levar um primeiro gol dificultaria ainda mais a situação dos corintianos. "Em clássicos assim, de decisão, toda vantagem é importante. Mas é o mínimo, um gol de diferença e a gente não pode se atirar, porque se toma um gol é pior. Não temos que ir lá para desespero. Só nos minutos finais é quando podemos fazer algo diferente. Até então, faremos um jogo inteligente lá dentro", disse o treinador, em entrevista coletiva realizada na Arena Corinthians, local em que o time treinou na noite desta sexta-feira, diante de sua torcida.

O comandante corintiano ainda falou sobre a escalação da equipe e admitiu que não espera contar com Jadson durante toda a partida. "O Rodriguinho, sim, sem problema algum. Mas não sei se o Jadson aguenta o jogo todo. Tem que ver se será intenso ou parado como na nossa casa. O jogo vai mostrar, mas a qualidade técnica vai prevalecer. Não temos que fazer muitas escolhas em um jogo grande como esse. Se eu tiver o Jadson por 60 ou 70 minutos, já vai ajudar bastante", explicou.

Palmeiras e Corinthians tiveram semanas diferentes de preparação. Enquanto a equipe alviverde precisou dividir as atenções com a Libertadores - enfrentou o Allianz Lima na terça-feira -, os corintianos tiveram dias livres e focaram apenas na decisão do Paulistão.

"Essa semana está muito mais tranquila, por não ter jogo. Semana passada, minha preocupação foi por termos um jogo a cada três dias. Nossa preocupação era de intensidade. Por isso foi muito mais preocupante. Só que essa semana está tranquila, a preparação é boa, com todos muito antenados e não poderia ser diferente", comentou Carille.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.