Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Carille revela que Jô quase virou goleiro do Corinthians contra o Atlético-PR

Técnico estava preparado para fazer a terceira substituição quando Walter se machucou

Daniel Batista, Estadao Conteudo

09 Novembro 2017 | 10h14

O técnico do Corinthians, Fábio Carille, contou que quase colocou o atacante Jô no lugar de Walter, que precisou deixar a partida por causa de dores na coxa direita durante a vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-PR, na noite da última quarta-feira, na Arena da Baixada, em Curitiba. O treinador estava decidido a fazer a terceira e última substituição na equipe quando o goleiro se machucou e ele precisou mudar os planos.

+ Giovanni Augusto celebra gol e Carille destaca ter elenco do Corinthians nas mãos

"O Fellipe Bastos estava para entrar. Se é no minuto seguinte, talvez eu não tivesse a substituição para fazer. Senti o Rodriguinho desgastado e já estava falando com o Fellipe. Graças a Deus por um lado, mas fico chateado pelo Walter", disse o treinador, em entrevista coletiva concedida na Arena da Baixada. Se tivesse feita a terceira opção, o treinador já tinha em mente quem seria o jogador a ser improvisado como goleiro. "Pelo tamanho, seria o Jô", contou.

A assessoria de imprensa do Corinthians informou que Walter sentiu dores na coxa direita e será reavaliado nesta quinta-feira. Como Cássio está com a seleção brasileira e deverá desfalcar o time por mais dois jogos, Carille poderá ter que apostar no jovem Caíque França nas duas próximas partidas, contra Avaí, neste sábado, e Fluminense, na quarta-feira, ambas no Itaquerão, pelas rodadas seguintes do Brasileirão.

+ Jô é suspenso pelo STJD e desfalca o Corinthians por uma partida

Carille faz questão de ressaltar a importância de Walter e diz que pensava em iniciar a temporada com ele como titular. "Eu já deixei claro que ele começaria o ano como titular se não fosse o problema na costela. Ele terminou 2016 jogando bem e com o Cássio em baixa. Na reapresentação (depois das férias) a gente não sabia quanto tempo ele ficaria fora e ele voltou só nas finais. Não podia falar para o Cássio: 'Vai jogando aí'. Quando saiu a convocação, ficamos tranquilos", comentou o treinador.

Apesar das palavras de apoio para Walter, Carille disse, em dezembro do ano passado, que sua intenção, na verdade, era iniciar a temporada com Cássio, que voltou a conseguir firmar como grande nome da posição no clube no decorrer da temporada. Leia entrevista com o goleiro titular aqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.