Carioca pode ter nova ?virada de mesa?

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) estuda uma estratégia para tentar evitar que o Bangu dispute a Segunda Divisão do Campeonato Carioca em 2005. O clube foi rebaixado após a rodada do fim de semana, em que sofreu goleada do América por 5 a 1. A Ferj realizaria no final do ano uma nova edição do campeonato da Série B, com a participação do Bangu, e o campeão do torneio estaria incluído na competição com a elite dos clubes cariocas em 2005. O despropósito se acentua se for levado em consideração que está em curso, neste momento, o campeonato da Segunda Divisão do Rio.O mesmo esquema foi feito ano passado, numa tentativa clara da federação em beneficiar o Volta Redonda. Rebaixado em 2003 da Série A do Carioca, o clube do interior do Estado disputou no mesmo ano a Segunda Divisão, mas não obteve êxito para voltar à elite em 2004. Quem ganhou o título da Série B foi a Portuguesa.A idéia da ?virada de mesa? escamoteada já foi levantada pelo vice-presidente da Ferj, Rubens Lopes, ex-presidente do Bangu. Após o jogo de domingo, em que o Bangu perdeu para o América, Lopes declarou enfaticamente que seu clube de coração continuaria entre os grandes do Rio em 2005.Dias antes, Lopes recebera a solidariedade do presidente da Ferj, Eduardo Viana, que deixou clara a disposição da entidade em promover algumas alterações no campeonato de 2005, "se preciso fosse". O Estatuto do Torcedor, porém, só permite mudança no regulamento de torneios de futebol com dois anos de antecedência.No fim de semana, Viana voltou atrás, parcialmente, e se disse contra a virada de mesa. Mas deixou no ar dúvidas sobre o rebaixamento do Bangu. "Acho que o time vai disputar a Segunda Divisão", comentou.Nesta segunda-feira, Rubens Lopes mantinha o discurso da véspera. "A torcida do Bangu pode ter certeza de que vamos lutar e alguma coisa vai acontecer", afirmou. Ele acusou seu ?colega? Francisco Aguiar, também vice-presidente da Ferj, de ter feito manobras para perseguir o Bangu no Carioca e revelou uma conversa recente com Eduardo Viana, que teria a anuência de dirigentes de Vasco, Portuguesa, Madureira e Friburguense. "Todos concordaram que não haveria rebaixamento."

Agencia Estado,

22 de março de 2004 | 19h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.