Carlos Alberto chega com a bola do título

Com o título de campeão da Liga dos Campeões e a bola da partida na bagagem, o meia Carlos Alberto desembarcou nesta sexta-feira no Aeroporto Internacional Tom Jobim, após o triunfo sobre o Monaco, por 3 a 0, na final de quarta-feira, disputada na Alemanha. Para o ex-atleta do Fluminense, o mais importante foi o fato de ter se adaptado bem ao futebol português, além de ser bem recebido pelos torcedores. "Ao chegar no Porto percebi que havia uma união muito grande entre os jogadores e aí vi que seria possível conquistarmos o título", lembrou Carlos Alberto, que se transferiu para a equipe portuguesa em janeiro, negociado por US$ 2,5 milhões. "Pareceu que estava chegando na minha casa pela maneira como fui bem recebido." A facilidade de entrosamento com os companheiros do Porto rendeu um apelido a Carlos Alberto. Por pedir sempre o mesmo prato nos restaurantes portugueses, desprezando inclusive o bacalhau, passou a ser chamado de "Feijão". Apesar da boa adaptação, Carlos Alberto revelou que a saudade da família e dos amigos foi seu maior problema. Até abril, o meia esteve acompanhado por seu pai, Carlos, e, depois, somente sua mãe, Fátima, permaneceu em Portugal, e nesta sexta-feira retornou com ele ao Brasil. Sobre as diferenças entre o futebol brasileiro e português, Carlos Alberto lembrou que a velocidade e a necessidade de ajudar na marcação são as caracteríticas dos europeus. Lembrou que no Brasil até o clima quente facilita "o jogo cadenciado", peculiaridade ausente em Portugal. Aos 19 anos, Carlos Alberto, revelado nas divisões de base do Fluminense, na cidade de Xerém, manifestou o desejo de um dia voltar a atuar na equipe carioca. O jogador contou que sempre assiste aos jogos do Tricolor, além de conversar com com os amigos que permaneceram na equipe brasileira, como o goleiro Fernando Henrique e o zagueiro Rodolfo. "É claro que um dia quero voltar a vestir a camisa do Fluminense. Mas, hoje, quero pensar no Porto e viver este momento na minha carreira", frisou Carlos Aberto, que assegurou sua presença neste sábado no Maracanã para prestigiar os amigos no jogo entre o clube carioca e o Criciúma, pelo Campeonato Brasileiro. Carlos Alberto também não escondeu o desejo de atuar pela seleção brasileira. "No momento certo isso vai acontecer", destacou o meia, autor do primeiro gol do Porto, na vitória sobre o Monaco. "Foi um momento mágico e cumpri uma promessa que fiz ao meu pai. Até comemorei mancando, para homenageá-lo, porque ele está com um probleminha na perna."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.