Carlos Alberto Parreira rasga elogios a Kaká e Ronaldo

Dois jogadores especialmente deixaram Carlos Alberto Parreira satisfeito no jogo desta terça-feira, contra o Lucerna, na Basiléia. O primeiro e mais festejado foi Kaká, um dos principais responsáveis pelo funcionamento do quarteto mágico. O segundo: Ronaldo, que começa a crescer na hora da decisão, na hora da Copa do Mundo. Kaká foi elogiado pelo treinador, porque fez tudo o que ele havia pedido. Atacou, deu bons passes e, também, mostrou solidariedade ao time, ajudando na marcação nos momentos necessários. É claro que o adversário não impôs dificuldade, mas o meia do Milan fez seu papel muito bem. Um dos lances marcantes ocorreu no primeiro tempo, quando o Brasil perdeu a bola e o atacante do Lucerna sairia na frente de Dida. O ex-são-paulino arrancou até a defesa e roubou-lhe a bola. ?O Kaká cumpriu bem a função, portou-se bem, espalhou-se no campo e abriu espaços?, comentou Parreira. O meia se disse satisfeito com os elogios e afirmou ter consciência da importância de auxiliar a defesa. ?Está claro para todos que a gente tem de ajudar na marcação, eu ou o Ronaldinho Gaúcho e um dos dois atacantes?, afirmou o jogador. ?Isso vai acontecer sempre nos jogos.? Ronaldo foi exaltado pelo técnico por ter, mais uma vez, mostrado oportunismo em campo. Aproveitou as oportunidades que teve e fez dois gols, o terceiro e o quarto da seleção. E, aos poucos, recupera a forma, depois de mais de um mês e meio fora do futebol por causa de contusão na coxa direita. ?A função do Ronaldo é fazer gols, ele é isso, fez contra o Fluminense (time sub-20 em jogo-treino, no domingo) e fez hoje, só precisa melhorar a forma física, porque ficou muito tempo parado.? Com os dois gols desta terça, Ronaldo chegou a 69 pelo Brasil, ultrapassando Zico, autor de 67. Ele é, agora, o terceiro maior goleador, atrás apenas de Pelé e Romário. O Fenômeno está a 3 de se tornar o maior artilheiro de Copas do Mundo. Tem 12 gols, 2 atrás do alemão Gerd Muller. O jogador disse esperar quebrar o recorde na primeira fase do Mundial, para tirar a pressão nos jogos seguintes. ?Mas o objetivo principal é o título.?

Agencia Estado,

30 Maio 2006 | 19h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.