Carlos Alberto volta a treinar, mas deixa coletiva

Depois de uma semana no Rio de Janeiro, o meia Carlos Alberto retornou aos treinamentos do Grêmio nesta segunda-feira. Depois de participar de um jogo-treino entre os jogadores que não atuaram contra o Santa Cruz versus o time de juniores, ele concedeu entrevista coletiva e criou mais uma confusão.

AE, Agência Estado

11 de abril de 2011 | 21h09

Carlos Alberto iniciou a coletiva falando de sua volta aos treinamentos e do fato de ter sido excluído por Renato Gaúcho do elenco que viaja à Bolívia para pegar o Oriente Petrolero na quinta-feira: "Eu estou bem, fui pra lá (Rio), fiz alguns exercícios dentro do que eu pude fazer, fiz um coletivo hoje (segunda) e me senti bem dentro do que o trabalho exigiu, mas não sou eu quem decido quando jogar, estou pronto para ser cobrado e ser exigido naquilo que eu sei fazer".

Depois, negou que tenha discutido com Renato Gaúcho ou com qualquer jogador do elenco nos vestiários do Olímpico depois do jogo contra o Veranópolis. "Todos sabem que eu fui para o exame antidoping naquele dia. Depois deste exame não se pode retornar ao vestiário. Não tem como, só se eu fosse mágico", afirmou.

Em seguida, negou rumores falsos sobre os motivos de ter sido dispensado para viajar ao Rio de Janeiro na semana passada. Disse que cumpre com suas obrigações e que não quer ver ninguém crescer usando ele como escada. Revelou ainda que acionará a Justiça contra quem o caluniou: "Meus advogados estão sabendo de tudo e quem falou sem ter provas, além de ser covarde, vai ter que responder judicialmente", completou.

Duas perguntas, sobre noitadas e sobre sua fama de ''Bad Boy'' tiraram Carlos Alberto do sério. Primeiro, se recusou a responder. Ao ouvir a réplica do jornalista que o havia questionado, perdeu a paciência. "Não posso conversar com você. Daqui a pouco vou perder o respeito de homem e você não vai aguentar comigo. Está tudo acabado", disparou ao se levantar da sala de imprensa e deixar a coletiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.