Carlos César estréia no Flamengo

A estréia do técnico Carlos César na equipe do Flamengo contra o São Caetano, pela 13ª rodada do Torneio Rio-São Paulo, neste domingo, às 16 horas, é um bom exemplo da grave crise que o clube enfrenta em 2002. Nesta temporada, três treinadores já ocuparam o cargo no clube, que amarga apenas a 13ª colocação na tabela de classificação com um total de 12 pontos. A primeira mudança feita por Carlos César foi a de trocar o esquema 3-5-2, de seu antecessor João Carlos, pelo tradicional 4-4-2. "Como posso pensar em atuar naquele esquema, se só tenho três zagueiros: Juan, Valnei e Fernando", indagou o treinador. O excesso de gols sofridos pelo Flamengo é outra preocupação do novo técnico. Em conversa com os jogadores, ele procurou mostrar que a equipe não pode sofrer 33 gols e ser a segunda defesa mais vazada da competição. Quanto ao desempenho do Rubro-Negro em campo, o treinador foi enfático: "Estamos sem chances, mas temos de jogar para vencer. Somos profissionais. Temos que ter raça." A preocupação de Carlos César com a defesa rubro-negra é antiga. Afinal, em sua primeira passagem pelo clube, há dois anos, o Flamengo sofreu 11 gols em oito partidas. Apesar do elevado número de gols, o treinador teve um saldo positivo: seis vitórias, além de uma derrota e um empate. Com um elenco reduzido por causa das dificuldades financeiras, formado por 19 atletas, Carlos César teve vários problemas para escalar o time. O meia Felipe Mello e o lateral-direito Maurinho cumprem suspensão automática e serão substituídos por Carlinhos e pelo júnior Édson, respectivamente. Já o atacante Leandro Machado se recupera de contusão e Andrezinho forma a dupla ofensiva com Roma.

Agencia Estado,

30 Março 2002 | 17h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.