Carlos Queiroz explica por que disse 'não' ao Vasco

Em entrevista ao jornal português A Bola, o ex-técnico da seleção de Portugal Carlos Queiroz quebrou o silêncio e explicou por que recusou o convite para assumir o Vasco, no Brasil. De acordo com o treinador, ele não poderia se ausentar do país luso por enquanto.

AE, Agência Estado

08 de fevereiro de 2011 | 15h48

Carlos Queiroz chegou a ser dado por parte da imprensa brasileira como acertado para assumir o lugar de PC Gusmão no Vasco. Com a recusa do português, o clube cruzmaltino contratou o ex-são-paulino Ricardo Gomes para o cargo.

"Não posso aceitar convites porque estou na iminência de saber a resposta do Tribunal Europeu", explicou Carlos Queiroz, que entrou com recurso na corte continental para reverter a suspensão de seis meses que lhe impôs a Autoridade Antidoping de Portugal (ADoP).

Segundo o órgão, Queiroz impediu a fiscalização antidoping no período de treinamentos da seleção de Portugal nas vésperas da Copa do Mundo, em Covilhã. O treinador alega que houve uma "fraude processual", apontando contra o presidente da ADoP, um "ex-treinador armado em político", entre outras autoridades esportivas do país.

Queiroz se mostrou magoado com seu país. "Portugal é história passada. A única coisa que eu quero do futebol português é que consiga ser ilibado para provar o abuso de autoridade", concluiu o treinador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoCarlos Queiroz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.