Carlos Queiroz nega clima ruim na seleção portuguesa durante a Copa

LISBOA - O ex-técnico de Portugal, Carlos Queiroz, negou nesta terça-feira à imprensa de seu país que o ambiente da seleção lusa durante a Copa do Mundo da África do Sul fosse tumultuado.

Efe

14 de setembro de 2010 | 11h06

O treinador admitiu que houve atletas insatisfeitos por não serem escalados, problemas que segundo ele acontecem quando "os jogadores têm condutas que não deveriam ter".

Essas são as primeiras declarações do técnico desde que a Federação Portuguesa de Futebol anunciou sua demissão, na semana passada. Queiroz foi contratado em julho de 2008 e ainda tinha mais cerca de dois anos de contrato.

O ex-técnico do Real Madrid, que também já trabalhou como auxiliar de Alex Ferguson no Manchester United destacou que Portugal fez "um bom Mundial", já que foi eliminado pela campeã Espanha nas oitavas de final.

Queiroz revelou ainda que pretendia seguir à frente da seleção portuguesa, e por isso rejeitou propostas para treinar as seleções de Japão e Austrália, além do Fulham.

Antes de ser demitido, Queiroz havia sido suspenso por seis meses por supostamente ter atrapalhado a realização de exames antidoping nos jogadores portugueses, em operação-surpresa realizada em 16 de maio, já na concentração da equipe lusa para a Copa do Mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.